domingo, 6 de abril de 2008

O outro querer

Você gosta de dar presentes? Acredita firmemente que preenche as necessidades das pessoas?

Gostaria de expor um aspecto importante e que afeta completamente o nível de qualidade que se busca e alcança nos diversos relacionamentos.

Guarde a frase para sempre com você: “O outro pode não querer o que eu quero”. Todas ou quase todas as nossas ações em torno da outra pessoa com quem mantemos relacionamento estão enraizadas na tendência daquilo que queremos para nós e não para ela.

Convivemos fortemente com o egoísmo presente e sutilmente percebido em cada gesto, palavra ou pensamento. Voltar-se para si, preencher nossas próprias necessidades em primazia, depois ao outro, essa é a força motriz que direciona o homem como raça.

É difícil pensar que quando estamos presenteando, é provável que estejamos presenteando primeiro a nós. Mais difícil ainda é aceitar o fato de que a outra pessoa pode naquele momento não querer o que eu quero pra ela, simplesmente porque ela não quer.

Você pode dar tudo que você acha que ela precisa, mas não entender um pouco lá na frente que nada que você deu trouxe felicidade plena a ela, e por quê? Simplesmente porque ela não queria o que você achava que ela queria.

Você e eu somos variáveis complexas cuja fórmula se encontra nas mãos do nosso Deus. Ele nos conhece perfeitamente, sabe de nossos pensamentos e emoções, além de ter uma profunda e precisa noção do que você necessita agora e amanhã. Ninguém mais tem. Podemos nos esforçar, mas admitir que esse poder não é nosso, é o primeiro passo rumo a uma gestão saudável de relacionamentos.

Exige de cada um, humildade e vontade de conhecer o outro querer, não o seu. É um processo que se iniciado desde então irá lhe trazer bons frutos a médio e longo prazo. Mantenha em mente que você precisa identificar realmente o que o outro quer. Para isso saia do seu universo e mergulhe com o espírito e coração nas reais necessidades das pessoas.

Aprenda e aceite o fato de que o seu desejo para a outra pessoa pode não casar com o que ela quer. Desse modo, você estará construindo relacionamentos com prosperidade infinita. Tente, experimente e descubra o agradável e imensurável bem de atender verdadeiramente o outro querer.

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.