quarta-feira, 9 de julho de 2008

Digno Amor


Amor, a palavra mais ansiada pelos seres humanos. Queremos experimentar, viver, sentir, receber e dar amor. Muitos escritores tentaram e ainda tentam descrever o amor, no entanto, não existem palavras no dicionário que expressem na essência o que é amor.

Para um relacionamento ser sólido, bom e agradável é preciso muita coisa. São ingredientes indispensáveis para se chegar na massa e no bolo perfeito. Entre eles, a liberdade. Você e eu queremos ser amados por uma escolha de alguém, que tenha a opção de não nos amar. Isso se chama digno amor.

Dar liberdade ao relacionamento exige confiança em si e na outra parte. Implica em não duvidar, não questionar, mas aceitar a verdade que lhe é apresentada. Não existe relacionamento que dê gosto viver, sem liberdade.

Com a liberdade, se corre um risco que muitos lutam para evitar: a perda. Aqueles que vivem com esse medo utilizam do controle às vezes sutil, outras, possessivo, para manter o relacionamento. Não importa o nível de controle que se faça, o desgaste será gradual e destrutivo para todas as partes.

O conselho é procurar meios para afrouxar tal controle dentro de seu relacionamento. É a única maneira de mantê-lo, não existe outra saída saudável. Você pode tentar, mas todo seu plano sairá frustrado. Se estiver difícil, busque na terapia um braço e em Deus a força para conseguir.

Nosso maravilhoso Deus através de Sua Carta a você e a mim, nos conta mais sobre o amor. “O amor é paciente, é benigno, não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (1 Corintíos 13)

Deixar o outro livre para escolhe ficar ou partir é a condição essencial para se viver um digno amor. Por mais que você abrace forte uma pessoa, é só abrir seus braços e ela vai embora. Viver o digno amor implica em confiar antes em você mesmo e simplesmente amar.

Deus faz isso com você. Ele te ama, mas não força que fique com Ele, porque te deu a capacidade de escolher. Seu prazer está em deixar você livre para escolher amá-lo. Não se preocupe, Ele te ama mesmo sabendo que você ainda não o ama. Porque quando você conhecer quem é Deus, não há como não amá-lo, é insano recusar a esse amor, e loucura para quem observa de fora seu amor por esse grandioso e majestoso Deus.

Paulo, apóstolo de Jesus, disse: “de todas as coisas, a mais importante é o amor”. Você deseja hoje desenvolver amor por Deus? Dê o primeiro passo. Vá a uma igreja e ouça: “Um feliz sábado para você”. Que Deus abençoe seus caminhos e confie, porque Ele sempre está no controle de todas as coisas, mesmo quando tudo parece indicar o contrário.

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.