sábado, 13 de setembro de 2008

Os opostos se atraem, mas será que dão certo?


Cientificamente comprovado no campo da cientifico essa é uma afirmativa muito conhecida, mas pensando no campo afetivo, no relacionamento interpessoal, será que isso se comprova?

No mercado de trabalho cada dia ser torna mais comum grupos de trabalho formados com variados perfis, isso porque a diferença provoca discussões saudáveis, e essas discussões tem a intenção de melhorar o produto, isto porque utilizando um grupo como este focado no desenvolvimento de uma só “coisa”, resulta em um produto com mais qualidade isto porque esse trabalho foi foco de diversas analises.

Sabemos que no campo profissional trabalhar com a diversidade é algo que dá muito certo, mas e no campo afetivo, será que o relacionamento de duas pessoas com valores e pensamentos totalmente opostos dá certo? Se olhar pela ótica da máxima cientifica “Os oposto se atraem” este questionamento seria facilmente com uma resposta sim. Porém paremos para analisar imagine uma pessoa completamente liberal que gosta de praticar esportes radicais e outra que extremamente conservadora que detesta esportes, será que esse relacionamento teria futuro?

Em um relacionamento sabemos que nem sempre nossa vontade prevalece e constantemente temos que abrir mão de coisa ou atitudes em prol da outra pessoa, para que ela se sinta feliz ou simplesmente para evitarmos algum conflito que possa trazer um mal estar desnecessário. O fato é que ninguém gosta de ficar abrindo mão das coisas que lhe dão prazer ou até mesmo estão sempre dispostas a evitar uma briga. Pensar um relacionamento tranqüilo e duradouro entre pessoas totalmente é realmente difícil.

Realmente não posso afirmar que relacionamentos entre pessoas totalmente opostas não dê certo, porém com certeza são exceções.

Analisemos o campo da amizade, olhe ao seu redor veja quantos amigos você tem e analise seus amigos mais próximos, e respondam, quantos deles são extremamente diferentes na forma de pensar?

Provavelmente dos amigos mais próximos que você tem, não haverá ninguém assim tão diferente, ele(a) poderá ter um estilo diferente, mas com certeza vocês tem opiniões muito similares na maioria das conversas que vocês tem.

Nesta breve reflexão você já deve ter notado que essa afirmação de atração pelos opostos não funciona muito bem no campo afetivo, agora lhe pergunto caso você esteja em uma situação como essa, isto é se relacionando com alguém que seja seu total oposto, e isso vem gerando situações desconfortáveis, será que vale a pena investir mais tempo neste relacionamento?

Luciana Stival

3 comentários:

svenditto disse...

tenho uma opiniao pois sai de um relacionamento de 8 anos justamente por esse motivo. Acho que com o passar dos tempos as diferenças se transformam em arrestas e ai se as partes conseguirem apará-las tudo bem senão, realemnte é dificil, principalmente se as diferenças estão no campo espiritual

Ana Paula :) disse...

Que lindo Henri!!!!!

Cada vez mais meu coração se acalma com essa leitura do seu blog....Sorrir,rir e amar....realmente são princípios de vida tão simples......mas que fazem um bem enorme à nossa alma........Mais uma vez vc acertou .....continuarei lendo!
Shalom!

LS disse...

Caramba! Primeiro quero dizer que estou encantada ao ver meu texto publicado em outro blogue. Escrevi esse texto na adolescência, nem tenho mais o blogue! Interessante reler, ver os errinhos (risos)...
Segundo, creio que ainda possuo pensamento comum com o texto. Agora com 19 anos, também sei que nem sempre os semelhantes se atraem.
Beijos a todos!
Luciana Stival Vieira

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.