sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Queria ter sido um pastor


No tempo certo recebemos um menino, Aquele que tira as falhas do mundo.

Certamente nesse momento vivenciamos o que está em Números 11:23 “Agora verás se a minha palavra se há de cumprir ou não”. E assim com tamanha precisão e sem demora, nasce o Salvador prometido por Deus.

Que alegria deve ter sido poder participar do evento em torno do nascimento de Jesus. Alguém sem defeito algum, perfeito em todos os aspectos e forma, se esvazia de si próprio, abrindo mão de Sua divindade, poderes, de seu lar nos Céus, e então escolhe nascer neste mundo onde cobiça, inveja, ciúme, orgulho, ansiedade, angústia, medo, pranto, dor predominam.

Queria ter sido um pastor para estar ali no nascimento do Deus Filho. Ele veio puro, inocente, indefeso para trazer vida em abundância para todo aquele que nEle acreditar. O Criador de cada bem visível e invisível, diante dos olhos de um pastor de ovelhas. Menino que pode todas as coisas, porque nada é impossível para Ele (Lucas 1:37), estava numa manjedoura,em um berço natural sem luxo nem ostentação alguma, chorando como toda criança recém nascida chora. Porém, essa criança tinha algo diferente: era símbolo do amor incompreensível de Deus pelo ser humano.

Queria ter sido um pastor para contemplar esse evento único da história. Todo universo, anjos e seres não terrenos, com os olhos fixos no nascimento dAquele que trinta e poucos anos depois morreria no seu e no meu lugar para nos proporcionar uma vida sem fim.

Queria ter sido um pastor para ter o privilégio de conhecer o Pastor dos pastores. Menino que desde o princípio é Rei dos reis, Senhor dos senhores. Alguém que se preocupa com cada ovelha Sua a ponto de que se uma houver de se perder de Seu rebanho, deixará as demais em segurança e sairá em missão à procura da ovelha perdida. Que amor desse Pastor pelo Seu rebanho e que tranqüilidade saber que esse menino é nosso Pastor e nada nos faltará (Salmos 23).

O nascimento de Jesus é a prova de que Deus não nos abandona, pelo contrário, tem consideração por cada filho e filha Seus e que moverá céus e terra para tê-los ao Seu lado. Fará com que a mensagem da Verdade chegue a eles, e então por amor, deixará cada um escolher o caminho que desejar seguir. Não força, não age de coerção como os homens daqui agem para conseguir o que desejam para si. Apenas diz com sangue em cada palavra de Sua carta: Eu te amo mais do que tudo.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Sem importância


Tem muita coisa que a gente não dá importância e realmente não deveríamos dar, porém existe uma que é primordial e torna-se o assunto da reflexão de hoje.

Não falo para aqueles que rejeitam, mas dirijo à palavra para quem apenas afirma em seu coração: “Deus não é importante para mim”. O que leva alguém afirmar isso com tamanha convicção? Qual é o efeito na vida dos que tornam Deus Alguém sem importância?

Certamente compreende diversos grupos de pessoas, no entanto vou me concentrar no grupo dos que não passam necessidades materiais. Adquirem o carro do ano, residem bairros nobres, possuem prestígio, e uma infinidade de atributos, que não são ruins. A questão reside no fato de não visualizarem quem é a fonte de tudo que possuem, algém que é Criador e mantenedor das coisas visíveis e também invisíveis.

Até esse ponto você pode pensar: não existe grande problema. E aparentemente não há mesmo. Acontece que tais pessoas enxergam o mundo do prisma material e esquecem de que existe um Deus, único e verdadeiro no comando.

Quando ouço que Deus não é importante, meu coração entristece, mas é uma tristeza diferente de uma perda. Tristeza porque não reconhecem quantas bênçãos Deus derrama sobre suas vidas, não enxergam o tamanho do amor desse maravilhoso Deus.

Você pode considerar Deus sem importância pra você, mas certamente Deus o considera ricamente importante para Ele. Como saber?

Vá à Carta que Ele lhe escreveu e conheça esse Deus através da Sua Palavra: libertação do povo das garras do Egito, travessia do Mar Vermelho e Rio Jordão, vida de Sansão e de muitos outros filhos. Cada história é um retrato mais do que claro do quanto somos importantes para Ele, mesmo quando há gente que afirma ser Ele de não grande importância.

E qual é o efeito/impacto de uma vida sem importância para com Ele? É uma vida sem sabor ou se existir esse sabor, ele é amargo. Para mim, é impossível viver em sabor doce longe da percepção, presença e em relacionamento com Deus. A vida pode ser boa, mas se tais pessoas colocassem Deus, ficaria muito mais gostosa, porque Deus vem para preencher o vazio que nada deste mundo consegue: nem amores, riquezas, poderes.

Existe um efeito maior ainda nessas pessoas. Elas precisam fazer um esforço enorme para ignorar que Deus existe e está na vida delas. Porque Deus não vai abrir mão de buscar cada filho Seu. Vai tentar e tentar e tentar, até que você aceite ou renuncie o cavalo branco.(Apocalipse 6)

Minha oração é: Pai, não deixe de bater na porta do coração dos que dizem Ser tu ó Senhor, sem importância. Faça-os reconhecer que são barros, e o Senhor o oleiro (Jeremias 18:6), e assim fará grandes vasos dessas pessoas. Perdoe-nos, pois nossas faltas são muitas, mas pelo teu amor e por Jesus, eu agradeço.

domingo, 29 de novembro de 2009

Sob a proteção da nuvem


Não sei como você se sente agora. Que problemas, dificuldades estão atrás te perseguindo, ao lado e diante de você. Não faço idéia pelo que você sofre, mas quero lhe trazer uma mensagem da Carta de Amor: “Deus está ao seu lado nesse momento”.

Se você está lendo esta reflexão, tenha uma certeza: seu coração continua a pulsar pelo amor infinito do Deus Criador. Ele é o responsável pelo milagre da sua vida. Você vive unicamente porque é da vontade de Deus que você continue a respirar.

Não posso lhe dizer quais são os planos de Deus para você, mas consigo afirmar sem titubear que Deus te ama com um amor sincero, honesto, desinteressado, puro e verdadeiro. Você pode estar se perguntando como eu tenho certeza disso. Eu respondo: a Carta de Amor que Ele nos deixou, foi escrita com sangue de Gênesis, o início de tudo, à Apocalipse, que significa, revelação. Quer amor maior que esse?

E lhe acrescento mais: Deus anda com você, da mesma maneira que Ele andou com Israel durante 40 anos lhe indicando o caminho que deviam seguir para chegar com segurança à terra prometida. É claro que hoje não vemos uma nuvem caminhando fisicamente como aquele povo via de dia, mas isso não importa.

Ouvi e divido com você: se o ser humano pudesse enxergar o todo: o início, meio e fim de todas as coisas, ele faria exatamente o que Deus decide a cada segundo realizar através da Sua sabedoria. O que isso significa pra você e pra mim? Não importa o que lhe aconteceu até aqui: Deus conhece cada passo seu, e por isso você precisa aprender a colocar a sua confiança no Senhor possuidor dos Céus e da Terra.

Porque sabendo que Deus te ama, tudo que Ele faz é pensando em te ver feliz, talvez não hoje, nem amanhã, mas no dia escolhido a dedo pelas mãos do Criador. Poderia me aprofundar no assunto, pois é vasto e profundo, porém o objetivo é fazer você enxergar que você anda sob a proteção da nuvem de Deus.

Sumariando: se o sinal está vermelho pra você hoje, seja porque não tem o que você gostaria de ter, não se preocupe, Deus está no comando. Prestou atenção? Deus, o Criador e mantenedor de todas as coisas, dono, não de uma empresa ou um só planeta, mas sim dono do Universo, está no controle da sua vida. É para parar e meditarmos na grandeza deste fato.

O conselho é: abra a porta do seu coração para esse Pai que não se cansa de querer abraçar e te colocar no colo, e lhe dar felicidade duradoura, e não passageira. Fica o convite: “ensina-me a fazer a Tua vontade, pois tu és o meu Deus, guie-me o teu bom Espírito por terreno plano” Salmos 143:10

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Matriz


Você vive numa matriz, e ela é imperceptível, a menos que você se toque da sua existência. A cada tempo de vida podemos experimentar uma nova, bem como permanecer na mesma matriz por muitos anos.

A matriz pode ser definida como a lente através do qual você enxerga o seu universo. Ela compreende endereço, telefone, hábitos, rede social, religião, chat, família, escola, trabalho. Uma vez essa matriz formada, ela se torna a sua referência maior. Ela tem a função de propiciar o controle de suas escolhas. Você não a vê, porém ela é muito real.

Não é ruim possuir e viver numa matriz, até porquê é quase que impossível viver fora de uma enquanto o Filho do homem não vier para conduzir os seus eleitos à morada eterna. Faz parte da nossa condição de seres errados, vivermos inscritos numa matriz. No entanto, devemos cuidar para que essa matriz ao qual você e eu estamos inseridos hoje, não nos impeça de conhecer, crescer, experimentar o novo, se o velho já nos contaminou.

Isso mesmo. Uma matriz nos leva a um dos dois estágios: contaminação ou contribuição. Quando a influência do meio passa a lhe fazer mal, ainda que não em proporções de angústia profunda, você inicia um processo de contaminação do seu eu, se tornando o maior prejudicado nas esferas do relacionamento humano.

Exemplificando: Durante muitos anos você permanece morando no mesmo local, convivendo com as mesmas pessoas, respirando o mesmo ar, sem nunca ter experimentado uma viagem que atravesse o oceano. Por quê? A matriz lhe leva a um estágio de conforto e ao mesmo tempo tremenda insegurança do desconhecido. Os resultados são mais que óbvios: contaminação. Todavia, certo dia, você decide sair dessa matriz, talvez por algumas semanas, mas sai. E então você descobre que existe mais: nova cultura, culinária, língua, hábitos, novo sistema sócio-econômico, novo modo de pensar, encarar os problemas, e uma infinidade de variáveis inimagináveis: contribuição.

Depois disso você entra numa introspecção e se pergunta: por que levei tanto tempo? o que tenho feito do tempo que Deus me dá a cada pulsar do meu coração? Sabe leitor e leitora, muitas vezes você só vai dar conta que sua atual matriz lhe está definhando quando o desemprego, a doença, a perda bate à sua porta de modo inesperado. A partir daí, você tenta correr desesperadamente para ser removido da matriz, algumas vezes ainda dá tempo, outras, as oportunidades de novas matrizes já passaram, e só lhe resta chorar com a alma daquilo que você deixou de viver.

Lembre: você é apenas um ponto, menor que um grão de mostarda quando visto sobrevoando acima das nuvens. A viagem lhe proporciona esse e centenas de outros insights. O que dizer então de um novo relacionamento, hábitos de saúde ou até mesmo experimentar o descanso do sábado e seus princípios, aquele que é zelado por Deus desde a fundação do mundo?

Dai a você a oportunidade de conhecer, acessar, experimentar uma nova matriz. Você será mais feliz que hoje e Deus vai continuar lhe amando na mesma intensidade.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Verbo da vida


Através de um sábio, tirei uma importante lição de vida e desejo compartilhar com você.

Podemos enxergar a vida aplicando o gerúndio em três verbos correlacionados: aprender, desaprender e reaprender. Muitos sofrimentos poderão ser evitados, outros minimizados, se soubermos viver em gerúndio permanente.

Aprender equivale a estar com o coração e a mente, abertos para conhecer, adquirir novas habilidades, quem sabe comportamentos, até mesmo relacionamentos. É arte de vida, saber aprender a cada minuto do dia que passa. E então chegar ao fim do pôr do sol, e meditar na seguinte pergunta: O que aprendi hoje com as pessoas e com Deus? Se a resposta foi nada, aconselho você se posicionar para mudar o quanto antes, porque é condição da nossa existência aprender, seja por bem ou por meio de dores.

E desaprender? Será que precisamos desaprender em certos aspectos de nossas vidas? Certamente que sim. Na infância, por exemplo, aprendemos coisas que à medida que nos tornamos maduros fisicamente, percebemos que aquilo pode não estar nos fazendo bem. Há ainda relacionamentos que vivemos e incorporamos manias, maus hábitos que agora precisamos deixar de aprender para poder viver o novo. Porém, desaprender é uma decisão difícil, e nos enche de medo, porque nos leva a deixar a zona de conforto em que nossa alma acostumou residir.

Perceba que a vida está sempre sugerindo, se não forçando que desaprendemos tudo que não está nos fazendo bem. Você pode ignorar o chamado vital, mas ele virá com tamanha força e intensidade, quer você deseje ou não. Então por que resistir?

Por último, reaprender é a ação mais sábia que um ser humano pode exercer. Porque envolve maturidade emocional para estar disposto a simplesmente crescer e apreciar novas experiências sob um novo prisma. Podemos reaprender de diversas maneiras: um novo trabalho, um novo livro pra degustar, quem sabe até mesmo uma nova pessoa em sua vida.

Cada relacionamento é uma unidade própria distinta de qualquer outra. Por mais que você compare com alguém que já se foi, nunca será a mesma, é como o ser humano, único, individual.

Acredito que Deus nos fez para viver no gerúndio: aprendendo, desaprendendo e reaprendendo. São apenas três verbos cuja raiz é aprender. Por que será que achamos tão difícil aplicar em nós, o verbo da vida?

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Sede e água, uma combinação quase perfeita


Quem já não passou sede? E como é bom beber água para matar aquela sede que parece queimar o corpo, desligar as engrenagens que movimentam o seu eu.

No entanto, falo de outra relação sede e água, uma que se aplica aos relacionamentos e que se bem compreendida, poderá trazer frutos à sua saúde. Sabia que é possível ver um relacionamento através da sede e da água?

Na vida, tudo é uma questão de equilíbrio para se viver em harmonia. E, portanto, é preciso existir equilíbrio entre a sede que surge e a água que será disponibilizada pra matar a mesma sede.

A sede são as necessidades emocionais que um ser humano pode apresentar. Ela se traduz na falta de atenção, na deficiência de uma boa conversa com alguém, da pobreza de elogios que tal pessoa está sendo alvo, e uma infinidade de necessidades sejam elas masculinas ou femininas.

E quando se tem sede, precisa-se de água. Portanto, a água é o que preenche, satisfaz aquela necessidade identificada. Todavia, você e eu sabemos que podemos beber muita ou pouca água. O nível de água que se bebe poderá matar a sede por alguns minutos, quem sabe horas, e talvez dias. Vai depender de quanta água será ingerida, para voltar a sentir sede.

Acontece que nos relacionamentos o processo também é válido e é nesse ponto que chamo sua atenção. Você tem que cuidar da quantidade de água que oferece para quem está com sede do coração. Muita água de uma vez, pode matar a sede, que é saudável a níveis aceitáveis. Não estou dizendo que você não deve matar a sede de quem você gosta, mas regular o volume de água que se coloca à disposição dela. Regular? Sim, porém a diferença é que essa regulagem será natural desde que monitorada com amor e não com coerção.

E somente através de uma boa regulagem da água, é que você poderá atrair quem tem sede para próximo de ti. O segredo está em quanto de água você vem dando para quem tem sede. Será que tem sido abaixo do necessário? Ou muito acima, a ponto de demorar bastante para a sede voltar? Já parou para pensar o quanto você tem dado de água para quem você deseja próximo de si?

Portanto, a combinação é quase perfeita, porque depende de um sábio equilíbrio de regulagem que só você poderá identificar para se viver relacionamentos mais saudáveis. Mas tem Alguém que pode lhe ajudar. O Espírito Santo está pronto a lhe ensinar a dar de beber a quem tem sede na medida certa, basta pedir a orientação a Ele, não tem mágica, e sim, a boa e saudável prática da oração.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Coração invisível


É possível passar por invisível sendo visível aos olhos de Deus?

Infelizmente e certamente que sim. Por incrível que possa ser, há pessoas que estão despercebidas e isso acontece muitas vezes dentro daquela Casa que jamais deveria ocorrer algo de tamanha magnitude. Falo da igreja de Deus. A igreja é o sangue que bombeia as almas humanas e todos de mãos dadas formam o corpo do Filho de Deus.

No entanto, você e eu ignoramos pessoas dentro da Casa do Senhor, sem nos darmos conta de que elas têm sentimentos e podem estar vivendo muitas dificuldades. Ou por razões de adultério, desavenças familiares, invejas ou até mesmo diferenças no status social. Fazemos julgamentos apressados daqueles que deveríamos acolher, seja para um cumprimento, apoio material ou quem sabe, orações ao coração aflito dos invisíveis.

Cristo, Deus homem, veio a essa Terra não para julgar, porém para amar, estender a Sua mão aqueles que mais precisam. E o verdadeiro cristão sente no âmago de seu ser, necessidade de ajudar, cuidar com orações, os filhos desamparados.

É fácil ser cristão quando você pratica: visita à igreja todo sábado, ou quase todos os sábados, cantos aos hinos do lindo hinário do Criador, ajoelhar-se para orar por você e sua família, devolver dízimos e ofertas, estudar a lição de Jesus. Tudo isso tem sua importância e momento, mas nada substitui o abraço, atenção, carinho, socorro a uma alma desesperada e perseguida, resultado de uma terra amaldiçoada por Deus.

Ser cristão é manter um verdadeiro e correto relacionamento com Deus, e isso começa por amar ao seu próximo, e esse próximo não é bem seu vizinho, amigo, irmão, pai, cônjuge, e sim aquele que você faz questão de torná-lo invisível, por mais visível que ele possa ser aos olhos de Deus. Se assim for, me desculpe, mas você está vivendo um falso cristianismo, cristianismo que não sensibiliza Cristo, mas sim o coloca em ira porque você o despreza ao desprezar quem você torna invisível.

Faça uma mudança em sua vida, peça ao Rei dos reis para transformar o seu ser e passar a compor o grupo dos que vêem os corações invisíveis e sem dúvidas, Deus irá lhe abençoar ricamente, porque o maior mandamento é amar a Deus, e o segundo maior, é amar ao seu próximo e isso é grande desafio para os que proclamam serem de Cristo Jesus.

sábado, 15 de agosto de 2009

Se a terra se abrir


Há momentos da vida, quer seja no campo profissional, afetivo, financeiro ou espiritual, que temos a percepção e sentimos a terra se abrir bem diante dos nossos olhos.

Acontece que cada pessoa tem uma forma de reagir a esse evento aparentemente catastrófico. Pois só quem presenciou literalmente a terra se abrir, sabe o que é sentir medo, desespero, falta de proteção.

Muitas vezes não entendemos porque a terra se abre de repente, às vezes, nem é tão de repente, mas como fechamos nossos olhos aos fatos, então o efeito passa realmente a ser de repente, e tudo cai diante de nós.

Então vem a pergunta nascer do coração aflito: Por que comigo? O que fiz de errado?

Algo que é preciso entender diante da terra que se abre é o fato de nós enxergarmos apenas a superfície, observamos unicamente um ponto de vista, isto é, temos uma visão parcial das coisas. No entanto, tempos depois, dependendo de cada um, é possível assimilar porque foi necessário, a terra se abrir.

Guarde: Deus é amor, Ele respira, sente e vive amor pelos seres humanos, por mais que a sua condição atual não acredite. Amor que vai muito além do nosso finito compreender e também viver. Além do mais, Deus é puramente sábio, e deseja ardentemente o melhor para cada filho e filha que Ele projetou em Sua mente e então trouxe à existência.

Não podemos esquecer de um aspecto fundamental: você e eu somos errados desde que nos formamos no ventre. E uma implicação disso são os defeitos de caráter que nascem se adquirem e se manifestam em nossos relacionamentos e que sempre nem sabemos que os possuímos. E, portanto, Deus pode permitir certas situações que irão remover tais defeitos, se assim você aceitar com paciência o que a vida lhe trouxer.

Afirmo mais: aceitar com confiança em Deus quando a terra se abrir. Confiança com foco na solução e não no problema que estiver enfrentando. Por mais que esse problema se mostre como um povo extremamente forte presente em Canaã (Números 13 e 14), e que Deus deseja dar a você de presente Canaã, porque Ele lhe ama mais que qualquer outra pessoa é capaz de amar.

Não duvide, se Deus está no comando, e Ele está, Suas promessas para o seu viver irão se cumprir, como cada profecia foi cumprida e vem sendo cumprida até que o fim chegue. Apenas aceite, confie no Dono do Universo, e aja com prudência, equilíbrio, razão, dando os passos necessários, diante da terra que se abriu pra você.

“Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi pra mim alegria do meu coração, porque pelo teu nome sou chamado, ó Deus”. (Jeremias 24:16)

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Diligência nos relacionamentos


Viver a vida já é difícil, e se ainda não houver diligência torna-se praticamente impossível.

Se eu não tivesse sido diligente num determinado momento da minha vida num aspecto em particular e por minha própria escolha, hoje você não estaria lendo esta reflexão e nem tantas outras já escritas, porque estaria numa busca frenética por culpados, que nunca existiram.

O ser humano é motivado por desejo de ganhar pessoas e coisas, e medo de perdê-las. Além disso, é da nossa natureza buscar sempre a lei do menor esforço, o que oferece menor resistência. Não mudar hábitos, estilo de vida, por mais que eles reforcem defeitos de caráter, isso não é ser diligente. Usar a expressão mais comum nos relacionamentos: “quem gostar de mim tem que me aceitar do jeito que eu sou”, aquele que diz essa frase e a vive na pele, não está sendo nem um pouco diligente.

E sabe qual é o resultado daqueles que não aceitam a diligência em seus relacionamentos? O fracasso. Fracasso porque ou irá viver relacionamentos sem conteúdo, que irão estrangular sua alma, ou então, porque você acabará como uma pessoa sozinha, não por escolha própria, mas por escolha dos que rodeiam à sua vida.

Novamente, você escolhe. Deus não irá forçar que você seja diligente, mas irá criar condições para favorecê-la, porque Ele lhe ama. A perda de uma dor é um estímulo para levar você a ser diligente. O que isso significa? Entender o porquê da perda, buscar conhecimento e aplicá-lo no seu dia a dia, mudar hábitos ruins, encontrar parceiros, entre eles, o amigo terapeuta para lhe auxiliar a enxergar coisas que hoje você pode não ver. Tudo isso e mais um pouco faz de você alguém diligente.

Ir por esse caminho, que exige dedicação, esforço e trabalho inteligente, fará de você uma pessoa diligente. A diligência não traz resultados instantâneos, mas sim em médio a longo prazo, e com um detalhe, haverá sucesso nessa escolha sábia.

Salomão, em várias passagens de Provérbios, comenta sobre a diligência nos relacionamentos. O grau de importância, as conseqüências de não praticá-la, portanto, é conselho bíblico buscar desenvolver a habilidade da diligência, que é contrária à nossa inclinação desde que nascemos que se resume em percorrer aquele que oferece menor resistência, o caminho da preguiça emocional.

Não sei como anda sua vida, o que tem feito dela até aqui, quem você perdeu, ou deixou de ganhar, o quanto você se vê claramente diante do espelho do coração, mas uma coisa é certa: se você escolher hoje o caminho da diligência, de buscar ajuda, seja ela profissional ou não, e fazer todo esforço para se tornar excelência, dar o melhor de si, você obterá sucesso.


Guarde para reflexão: “O diligente será soberano, enquanto os negligentes se tornarão escravos” (Provérbios 12:24)

Nota: As reflexões do RelacPeople passarão a ser quinzenais.
Trazendo sempre temas para fazer você pensar e agir com intuito de estar um passo a frente consigo mesmo.

Próximo texto: Previsto para 12/agosto, "Se a terra se abrir"

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Sabor do maná

Essa reflexão você encontra com seus detalhes no livro de Números, capítulo 11, vale a leitura.

Quando foram libertos do poder dos inimigos, algo passou a cair dos céus para alimentar diariamente aquele povo que marchava rumo à terra prometida, e então exclamaram “maná” que significa “o que é isso”.

Maná tinha gosto de mel, misturado com azeite. Não se sabe ao certo com precisão seu sabor, mas certamente era precioso e que Deus provinha ao Seu povo. Há dois detalhes: ele precisava ser consumido no dia, se guardasse para o próximo, se estragava, e outro era que na sexta-feira de cada semana, Deus enviava uma porção dobrada do maná, porque no sábado nada Ele mandava, e essa porção especial não se estragava, tamanha a importância do sábado para Deus e a quem o negue ainda hoje.

Acontece que por muito tempo o povo recebeu só maná de Deus. Fazendo uma analogia, seria o mesmo que você e eu comêssemos nossa comida favorita continuamente. E então, as pessoas começaram a perder o sabor do maná em seus íntimos, porque saíram do foco. Passaram a se queixar fazendo-se lembrar que embora fossem escravos no Egito, havia ali comidas saborosas que podiam degustar. Essa queixa desagradou profundamente a Deus, porque tudo que Ele havia feito até ali era para o bem de cada filho Seu.

As pessoas se esqueceram do significado mais profundo do maná que nada mais era do se lembrar da provisão de Deus num local onde não havia nada, a não ser deserto de horizonte a horizonte. O maná era a proteção de Deus alimentando seu povo rumo a um destino reservado a eles. Era privilégio, e mesmo assim se esqueceram tornado-se insatisfeitos e queixando-se de que no Egito, na terra de escravos em que assumiam esse papel, eram mais felizes. Teria esse povo se tornado louco, ingrato?

O quanto você e eu em nossa caminhada rumo ao lugar além do rio, agimos da mesma maneira que aquele povo escolhido? Será que ainda mantemos o sabor do maná quando vamos à casa de Deus adorá-lo e louvá-lo? Ou será que ainda acordamos com aquela alegria do primeiro amor, e aqui explico: o dia que descobrimos existir um Deus que é amor, se fez amor e morreu por amor. 2 Coríntios 5:21

Certamente devemos cuidar para não perder o sabor do maná, da provisão de Deus para continuarmos as nossas lutas, ainda que muito difíceis, num mundo condenado à destruição. Devemos fazer nossas escolhas do dia sem olhar pra trás, e se alimentar diariamente do maná, que nos vem através do ouvir e do ouvir da Palavra de Deus Romanos 10:17.

As escolhas que você faz hoje, as pessoas com quem se relaciona, os lugares que freqüenta, as literaturas que lê, os programas que assiste, os sons que ouve, os alimentos que come, a palavra que sai da sua boca, os pensamentos que se formam, tudo influencia no sabor do maná que Deus envia a você a cada dia.

Ore a Deus para que você nunca perca o sabor do maná, que esse mesmo Deus ocupe seus pensamentos a todo o momento e que tenha a real noção da Sua proteção, cuidado e amor em abundância.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Passa rápido


Se existe uma variável que não controlamos essa variável chama-se tempo. A qualidade de vida, pessoas que escolhemos para perto, tudo isso e mais um pouco está em nossas mãos interferir. Mas e o tempo? Qual é o nível de interferência que estamos habilitados realizar sobre ele?

A vida passa e continuará a passar dia após dia. Conseguimos por nosso temor, adiar decisões importantes, no entanto, nada podemos fazer sobre a atuação do tempo em cada um de nós. O tempo atua em nosso físico, emocional e também espiritual de nossa existência, às vezes de forma sutil, que quando constatamos, ele já nos levou as pessoas e oportunidades que estavam batendo à nossa porta.

Isso é o tempo, ontem, hoje e amanhã. Ele é como fogo que arde sem se ver. Não tocamos no tempo, porém ele não só toca como é capaz de destruir vidas, bem como de reconstruir esperança. É de costume se ouvir a expressão: “tudo há seu tempo”. Mas pergunto a você com sinceridade de coração: até quanto devemos esperar por decisões que precisam ser tomadas agora? Será que não é o mesmo que falar ao fogo: “vá devagarzinho, sem pressa”; e ele, vem avançando cada vez mais em nossa direção?

Na vida tudo passa rápido. Num piscar de olhos e você pode nem mais estar nesse mundo. Isso aconteceu recentemente com um astro, conhecido como o rei da música pop. Numa noite, estava ele em ensaios para um megashow, no outro dia, sem mais nem menos, seu corpo havia voltado para o pó da terra.

Se você tem hoje condições de se decidir por uma direção, ainda que ela seja completamente obscura em seu futuro, decida. Lembre-se: tudo passa muito rápido, e, portanto, aja, tenha atitude e dê o primeiro passo rumo a uma direção diferente da que hoje permeia a sua vida.

Não brinque com o tempo, porque ele não está de brincadeiras com você. E o que falar da vida espiritual? Será que você não recebeu um convite para visitar uma igreja diferente de todas que já foi? Alguém pode lhe ter feito o convite para estudar com mais ordem a Palavra de Deus, e você vem hesitando em aceitar. Ou quem sabe, você já conhece toda a verdade, mas falta coragem para se decidir pelo batismo. Por que o medo? Você não confia que Deus está no comando de sua vida?

O conselho é: não brinque com o tempo, dê oportunidades a você, esteja pronto como ser humano a dar o primeiro passo. Recorde o que está em Apocalipse 1:17: “Não temas”, isso é a Palavra de Deus falando ao seu coração. Por que hesitar? Por que esperar ainda mais? Na vida tudo passa rápido, rápido por demais. O que estamos fazendo com o tempo que Deus nos deu?

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Longe de casa

Aqueles que saíram cedo para fazerem suas vidas sabem o que é viver longe de casa. Mas a reflexão diz respeito à outra casa. Uma que nos espera ansiosamente, e vem sendo preparada para nos receber com zelo, amor e carinho por um Pai que é Maravilhoso, Conselheiro, Príncipe da Paz Isaías 9:6

Você e eu vivemos muito longe de nosso verdadeiro lar. Com a partida de Casa, experimentamos dores, preocupações, doenças, e uma infinidade de outros obstáculos inerentes à existência humana. Essa partida se iniciou quando escolhemos quebrar nosso relacionamento com Deus, porque queríamos viver independentes da vontade do nosso Criador.

E hoje pagamos um preço alto demais por essa escolha. Que preço maior pode existir por vivermos separado da presença de Deus e com a tendência de não fazermos o bem? A semana inicia, ocupamos tempo com todas as atividades possíveis e também impossíveis, enfrentamos desilusões, sentimos medo do amanhã, e quando percebemos seis dias se passaram e não nos relacionamos verdadeiramente com Deus.

Mas graças ao amor incondicional desse Pai, recebemos de presente o sétimo dia, para desligar-se de qualquer preocupação humana, voltar os olhos e a mente para adorar ao Deus, Senhor de nossas vidas, e assim se aproximar um pouco do divino. Com o sétimo dia, nos damos conta de que virá em breve Seu Filho para nos levar de volta à nossa Casa, de onde jamais deveríamos ter deixado.

A maior vontade de Deus está resumida em João 6:40 “Aquele que vê o Filho e crê nEle tem a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia”. Portanto, é condição para voltarmos à nossa Casa, conhecer, entender e se relacionar de forma íntima com Jesus. Ele tem a chave da porta principal de entrada.

Não sei como anda sua vida. O que tem feito dela nos últimos anos. Talvez você não conheça a Carta de amor que Deus lhe deixou escrita com sangue de Gênesis a Apocalipse. Talvez conheça, mas não acredite, ou quem sabe, por razões ocultas, ignore a Fala de Deus. Não importa, hoje e agora é o momento pra decidir querer voltar pra Casa, e se preparar porque Ele, Emanoel, o Deus conosco, virá.

O Seu nome, Jesus, tem poder para mudar o seu viver, e poder para fazer maravilhas em você, apenas aceite a Sua mão que lhe é estendida. Ele é eterno e imutável. Com esses dois atributos recebemos estabilidade e segurança para confiar em Alguém que é o mesmo ontem, hoje e sempre.

Guarde para reflexão: “Porque assim diz o Senhor Deus: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei”. Ezequiel 34:11

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Momentos de solidão

Relacionamento não significa apenas se relacionar com os outros, mas também consigo mesmo. E como é possível desenvolver esse relacionamento peculiar?

A resposta é aprender a conviver, de modo satisfatório, com a solidão. Seja porque você é uma pessoa que está sozinha por razões que só você e seu Deus conhecem, ou pela condição de estar sozinha por algumas semanas, dias, quem sabe até horas.

É de suma importância você se gostar antes de pensar em gostar de alguém. E para se gostar é preciso se conhecer, e para se conhecer você tem que aprender a viver momentos de solidão.

Acontece que o ser humano tem pavor de ficar sozinho, e motivado por esse grande medo acaba geralmente escolhendo parceiros que não tem muito ou nada a ver com o seu eu. Simplesmente escolhem alguém porque sentem pavor de viver a solidão. Isso justifica muitos namoros que acabam em casamentos e quando se dão conta, percebem que entraram numa prisão emocional e moral e pior: convivendo com um estranho debaixo do mesmo teto. E aí irão pagar um preço alto para sair de uma emboscada dessa magnitude, se é que conseguem sair.

Aprendi que a solidão é um momento único na vida de uma pessoa. E depende unicamente de você fazer do limão que a solidão inicialmente desperta em seu coração, numa saborosa limonada com conseqüências, lá na frente, pra lá de especiais.

Realmente dar o primeiro passo para experimentar viver a solidão com alegria é duramente difícil. Nossa mente costuma buscar as mais variadas justificativas para que esse passo não aconteça, incluindo uma antecipação exacerbada de sofrimento, que só existe em nossa cabeça. A chave disso está numa palavrinha simples e objetiva: ação. É preciso agir diante da vida. Quem fica só esperando, poderá acabar cheio de teias de aranha, e isso é muito sério.

Não tem segredo, é preciso dar o primeiro passo, e aí vai a orientação:
1)Pense em algo que você gosta muito de fazer: pode ser um passeio no parque, visitar um bairro mais nobre, ver as vitrines de um shopping; Sempre existe alguma coisa que a gente adora fazer.

2)Escolha um dia e planeje gastar uma ou duas horas realizando a atividade escolhida acima.

3)Estando sozinho(a) procure curtir o momento, deixar o seu eu falar com você.

4)Com o tempo, busque outras atividades mais desafiadoras, como por exemplo, ir ao cinema, ou até mesmo ver um show, mas só você.

Afirmo que à medida que se avança para viver momentos únicos de solidão, o medo vai diminuindo de intensidade e o resultado será positivo para seu ser antes de qualquer outra coisa.

Lembre-se: Você é a pessoa mais linda que Deus tem. É do desejo do coração de Deus que você viva relacionamentos saudáveis, a começar por relacionar-se consigo mesmo. Não abra mão disso, aja sem medo de ser feliz.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Nascimento separado


É sabido que nascemos de um pai e uma mãe. No entanto, antes nascemos no pensamento de Deus. Em Sua mente somos criados anteriores à nossa existência. E com Jesus, como foi? Convido a me acompanhar nesta reflexão e entender com mais profundidade como nasceu o Filho do homem.

Jesus é chamado nas Escrituras como Emanoel, o Deus conosco. Emanoel já existia antes do Seu nascimento como podemos ver em João 1:14 “E no princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus, o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Na passagem há três considerações: Princípio querendo dizer no começo de tudo; Verbo era utilizado com o sentido da Palavra; e carne querendo dizer que recebeu um corpo humano físico como você e eu.

Mas será que Emanoel nasceu exatamente como qualquer outra criança nasce? Certamente que não, uma vez que Sua mãe Maria, era virgem. Jesus nasceu através de uma ação do Espírito Santo, e, portanto, não houve fecundação. Era do propósito de Deus que Seu filho viesse nas mesmas condições de Adão antes da queda, ou seja, sem a marca de pecado.

É importante recordar que quando a humanidade se separou de Deus através de uma escolha em benefício próprio (chamamos a isso de pecado), o homem como raça perdeu a imagem que havia recebido do Criador. É como se ele sofresse uma mutação, e essa mutação envolvendo físico, moral, espírito então já modificados, fossem transmitidos aos descendentes, e foi assim que aconteceu e acontece até hoje.

Se Jesus nascesse recebendo herança de Maria, Ele seria “mutante” como você e eu, e aí Sua missão de recriar a imagem do homem à Deus seria uma missão impossível. Porque não podemos nos salvar a nós mesmos, e necessitamos de um Salvador, alguém puro, principalmente sem mutação moral e espiritual.

Há passagens em Hebreus 7:26, 1 Pedro 1:19 e 2 Coríntios 5:21 que afirmam a santidade, ou seja, inexistência de pecado no Filho de Deus. Tudo isso é para mostrar a você que não era possível que Maria tivesse participação na concepção de Jesus, ela foi apenas o meio pelo qual Ele nasceu, nascendo separado das nossas mutações.

Vale destacar que a vinda de Jesus ao nosso mundo é considerada mistério, mas que Deus desejou revelar a quem está pronto para receber a verdade. E Paulo deixa claro em Romanos 16:25,26 “ .. e o mistério foi revelado ...”

Através do nascimento de Jesus, você e eu podemos nascer novamente, recebendo nova moral e espírito, e assim estarmos pronto para entrar na casa de Deus e nunca mais experimentar as lágrimas do mundo de cá.

Se você ainda não O conhece, convido a deixá-Lo entrar pela porta da sua mente. Se você o conheceu em algum dia, e hoje está afastado da Sua companhia, não pense duas vezes, vá agora buscá-lo para não mais largar. A vida com Cristo já é difícil, sem Ele, torna-se impossível.

Guarde para reflexão: “Portanto, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, tudo se fez novo” 2 Coríntios 5:17

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Espada de dois gumes

Basicamente nos relacionamentos humanos vivemos uma espada de dois gumes: a fala e as ações.

A fala pode ser usada como instrumento de coerção para ameaçar bem como punir aqueles que não fazem a vontade de quem fala, mas também serve como sistema de comunicação das mentiras, verdades, além de expressar intenções do próprio coração. A Bíblia diz: “A boca fala do que o coração está cheio” Mateus 15:18 .

A fala ainda pode atuar com o propósito de convencimento ou uma arma letal, e nisso temos uma advertência: “Do que guarda a sua boca e a sua língua, guarda das angústias a sua alma” Provérbios 21:23. Em resumo, a fala é um instrumento com poder para ser usada para o bem e para o mal, depende de sabermos fazer uso e escolher o alvo que almejamos atingir.

Mas existe ainda uma função da fala: segurar, às vezes até manipular a sua mente e o seu coração para ir ao encontro das intenções de quem dirige a palavra. Não que seja ruim essa função, desde que as ações estejam caminhando para andar em harmonia com a fala.

E então, chegamos às ações. As ações são como gritos para quem observa de fora. Através delas conhecemos verdadeiramente alguém, ninguém pode se esconder das suas próprias ações. Você pode enganar com a fala, talvez não por maldade, no entanto, por medo, insegurança, mas a mensagem que fica é ser impossível enganar quem quer que seja com as ações.

Isso vale para tudo, desde a esfera espiritual, passando pela profissional e alcançando a afetiva. As ações são a expressão clara de quem somos naquele momento, independente de fatores correlacionados a família, igreja, sociedade, e até mesmo Deus. Não que esses fatores não justifiquem as ações, mas o que é mostrado é o que capturado e entendido aos olhos humanos, recebendo impacto positivo, neutro ou negativo nos relacionamentos.

O problema se inicia quando as ações não sinalizam que vão de encontro com a fala e aí caímos na incoerência tendo como resultado direto, a perda de confiança de quem fala, e aqui é que mora o perigo. Podemos entrar num estágio que a ciência chama de desapego apropriado, que em poucas palavras significa: “nada do que eu faço mostra que sua fala e suas ações passam a andar em harmonia, então, eu simplesmente paro de fazer”.

E o próximo passo é o afastamento daqueles que se mostram incoerentes com suas ações e falas. Vivemos esse cenário no dia a dia, e precisamos cuidar para não viver a desarmonia entre nossas fala e ações. Guarde que somos observados aos detalhes, e depende de nós escolhermos andar no caminho do bem, procurando conciliar fala com ações, ou no caminho do mal, sendo incoerente no que falamos e agimos.

Faça hoje uma reflexão das suas falas e ações, e modifique uma ou outra para se estabelecer a harmonia, naquela que lhe for mais saudável e mais verdadeira para você e também para o seu Deus.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Órfãos dos Céus


Deus é Pai de todas as pessoas, saibam elas que Ele existe ou não. E muitos são os grãos de areia que não possuem a percepção da presença desse amoroso Pai cuidando delas dia e noite.

E por não terem a visão clara dessa revelação, seguem suas vidas. Acordam vez outra, sem disposição para dizer bom dia, se trocam e vão ao trabalho. Ali realizam suas tarefas, geram vendas, procuram aumentar sua visibilidade profissional, e retornam ao fim de mais um dia pra seus lares, sem se darem conta de que Deus estava com elas.

Esse grupo costuma compor os órfãos dos Céus. Vivem, tomam decisões, sofrem, alegram-se, e não tem conhecimento de que a vida delas também é guiada por Deus. Se soubessem as mensagens que só o salmo 23 já revela a elas: relacionamento, suprimento, descanso, cura, direção, propósito, provação, proteção, fidelidade, disciplina, esperança, abundância, benção, segurança e eternidade. Tudo isso e muito mais, encontramos na maravilhosa Carta de amor.

Mas acontece que Deus é Pai e, portanto, existem momentos específicos na vida de cada um, onde esse mesmo Deus, através da sua esplêndida graça, faz conhecer irmãos que reconhecem a paternidade do Criador. E mesmo assim, elas resistem acreditar, até mesmo aceitar a simples existência dEle. Mas Deus não desiste de mostrar que não somos órfãos, e estará tentando a todo custo demonstrar que Ele é o Pai que nunca falhará em Suas promessas de proteção e amor.

E quando esses órfãos se dão conta de que possuem um Pai. E que esse mesmo Pai escolhe participar a cada segundo de suas existências, essas pessoas tem suas vidas transformadas radicalmente. E passam a honrar o Criador no sucesso e no fracasso de suas tentativas. Honrar aqui significa aceitar com humildade os resultados que não temos controle, abrir mão de encontrar culpados, reconhecer nossos erros e virar a página daquilo que não mais tem linhas para continuarmos escrevendo.

Qualquer comportamento de insistência, de forçar, de usar da tática coercitiva para tentar alcançar nossos objetivos, está em desarmonia com a percepção de Deus em nossas vidas. Quem reconhece Deus o honra na alegria e na tristeza, e faz aquilo que depende unicamente de cada um fazer.

Uma ressalva para aqueles que dizem se professar filhos de um Deus vivo. Muitas vezes esquecem que são filhos e se vejam como órfãos mesmo dentro da igreja, mesmo se ajoelhando, porque no fundo não acreditam que Deus os ama ou colocam seus olhares nos homens que dirigem a igreja. Não acreditam na graça do Pai, porque esquecem que todas as coisas contribuem para o bem dos que amam realmente a Deus.

Guarde para reflexão: “Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome”. Apocalipse 3:8

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Comensalismo


Estudamos no colégio: comensalismo é uma relação entre duas espécies que vivem juntas, onde uma se beneficia dos restos da outra sem prejudicar a mesma. Convido a refletir no comensalismo adaptado para os relacionamentos humanos.

Primeiro: relacionar-se implica na convivência entre duas ou mais pessoas. Segundo: ninguém entra num relacionamento se não for para beneficiar-se, e a princípio, não existe nada de errado nisso.

No entanto, há relacionamentos que vivem ausência de gestão dos benefícios. São pessoas que aceitam o resto que a outra lhe oferece, conduzidas por falta de vida própria. Não se sabe se nunca possuíram ou deixaram de ter vida com assinatura. O fato é que ouvir de alguém “você é minha razão de viver” pode soar como uma declaração de amor, mas ao mesmo tempo, chega aos ouvidos como um alerta de que algo está em desequilíbrio ou em vias de entrar em profunda desarmonia.

É importante dizer: Se forem duas almas com características de, uma se beneficiar dos restos da outra, e essa não se sentir prejudicada, por incrível que pareça, esse relacionamento poderá durar por longa data, e elas vivem o que chamo de comensalismo emocional.

Mas se aquela que não deveria se sentir prejudicado se sente, então o relacionamento sofrerá ruptura para o bem ou para o mal. É inevitável, porque quando a outra percebe que você vive em função dela (seus pensamentos, são os pensamentos dela, seus gostos, são os dela), com o tempo essa mesma pessoa irá romper. Tudo porque você não cuidou da gestão dos benefícios.

Para se fazer uma gestão eficiente dos benefícios, implica antes de tudo, maturidade para aprender a viver com suas próprias emoções e não pedir emprestado. Significa dar um passo com grandes mudanças internas e também externas, e essas mudanças apavoram muita gente, e sabe por quê? Ou não sabem que existe um Pai que cuida delas e irá apoiá-la na transformação, ou então, sabem, mas não colocam lá muita confiança.

Não sei hoje como está a sua vida. Se for espécie que se beneficia dos restos sem a outra parte sentir-se prejudicada, a decisão é sua continuar neste comensalismo emocional. Por outro lado, se você se vê beneficiando-se dos restos, e percebe que a outra se sente prejudicada, então, convido a parar e rever o que espera pra você. Se realmente deseja manter-se beneficiando dos restos, deve procurar outra espécie para viver o comensalismo, porque mais cedo ou mais tarde, a ruptura virá e em seguida, a dor.

Lembre-se que a escolha é sempre sua, se colhe o que se planta, não há mágica nessa filosofia, ela é simples, real e dura. Viver em comensalismo ou não? Quem responderá? Talvez você, talvez seu Deus. Se for Ele, a promessa será cumprida, confie.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Arte e Ciência de vida


Você sabe viver? Aqueles que sabiamente respondam a essa pergunta trabalham com arte e ciência ao mesmo tempo.

Arte porque viver requer criatividade para fazer acontecer e sensibilidade para sentir a respiração da vida. Por outro lado, ciência porque é necessário adquirir um conjunto de habilidades para tornar a vida uma linda obra de arte.

É a harmonia entre arte e ciência e na medida certa que conduz você à realização da sua existência. Será que é difícil conseguir conciliar arte e ciência para fazer da sua vida uma belíssima canção?

Como todo discípulo, sempre há por trás um mestre que pode orientar seus passos na concretização desse propósito maior. Falo do Mestre dos mestres, o amoroso Jesus. E por que Ele? Pela razão dEle conhecer arte e ciência da vida como ninguém jamais conheceu. Alguém que é plenamente humano como você e eu, e alguém que é plenamente Deus.

O segredo para saber viver está cristalino em Hebreus 4:1 “... considere atentamente o apóstolo e Sumo sacerdote de nossas confissões, Jesus” O que isso significa? Entender de modo profundo e intenso quem é Jesus, para que então você possa se relacionar com Ele da maneira mais natural e verdadeira possível. E desse relacionamento você se tornará um grande artista, maior que Da Vinci.

Portanto, através do relacionamento pleno entre você e Deus, se aprimora o(a) artista que há dentro de você. E ciência? Como se desenvolve? Ciência depende de você por si só. Entenda que ciência é se capacitar através de técnicas, conselhos, de como conduzir uma vida do estado da arte.

Exemplo: É ciência de vida saber que a coerção destrói relacionamentos. As cicatrizes ficam tão marcantes que serão levadas consigo para quem as pratica, é como bater um prego numa madeira. Por mais que você retire o prego, a marca fica não se restaura. Também é ciência evitar a palavra dura ao outro quando se está irado, porque se dá chances para que o Rebelde aja através de você. E muitas outras técnicas fazem-se necessário conhecer e praticar para se viver relacionamentos saudáveis.

Mas a ciência pouco pode fazer se não existir arte. E a arte nasce do seu contato diário com o Verbo que se fez carne (João 1:14) Não tem segredo, é simples assim. A conciliação correta de arte e ciência leva você há uma conseqüência: fazer o que se ama com as pessoas que se ama.

A humanidade perdeu a imagem de Deus no Éden. No entanto, por amor maior que todos os amores do mundo, Deus enviou Seu filho a este mundo para que todos os que nEle acreditam restaurem a imagem e possam assim viver na companhia do Pai novamente.

Guarde para reflexão: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo,... muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo....” (Rom. 5:12-14, 17, 19).

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Mentiras


A mentira se iniciou na história quando o Rebelde fez uso dela para enganar outros com o propósito de distorcer o caráter de Deus. E assim nasceu o Pai da mentira.

A reflexão de hoje convida você analisar o que a mentira faz nos relacionamentos e as suas tristes conseqüências.

É mais fácil viver em mentiras do que em verdades, porque nos deixa numa zona de conforto. Não precisamos mudar aspectos da vida, enfrentar a realidade dos fatos, não precisamos olhar muitas vezes para dentro de nós mesmos. Mentir tem seu lado bom a curtíssimo prazo: a vida permanece aparentemente em equilíbrio e conseguimos o que desejamos.

No entanto, os efeitos da mentira certamente são destruidores a todos que aceitam viver no meio dela. Não se esqueça de um velho ditado popular: “a mentira tem perna curta, mais cedo ou mais tarde ela vem à tona”.

Deus através da Sua Palavra de Amor também tem um conselho pra você e pra mim: “Não dirás mentira contra o teu próximo.” (Êxodo 20:16) Por que será? Quem sabe porque o maior prejudicado com a mentira seja você mesmo e como Deus te ama, Ele tem o dever de orientar.

Começamos com uma pequena mentira aqui, outra ali, e dizemos para nós mesmos: é uma mentirinha que não faz mal a ninguém, e talvez não faça mesmo naquele contexto, mas existe um problema grave que é sinalizado ao nos comportamos assim: habituamos o nosso ser a mentir e aí podemos fazer de nossa vida com o passar dos anos uma monstruosa mentira a ponto de não termos coragem para voltar a viver em verdades.

E o que Deus diz da pessoa que vive em mentiras? “Os lábios mentirosos são abomináveis a Mim; mas os que praticam a verdade são o Meu deleite.” (Provérbios 12:22) A oração de uma pessoa que vive em falsos testemunhos tornam-se abomináveis aos olhos do Senhor sendo excluídas da Sua presença.

Não existe perda maior do que viver excluído da face de Deus, provavelmente essa é a conseqüência final da mentira. Deus é fonte de poder, sabedoria, segurança, proteção e de nos abençoar a cada manhã dirigindo nossos passos nos caminhos do bem, que nos levarão para além do rio. Pois Ele afirma: “Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.” (Apocalipse 22:15)

Se até aqui você viveu em mentiras, convido a refletir no que tem feito, será vida ou um faz de contas? Não importa, Deus está disposto a perdoar você se com sinceridade arrepender-se de suas faltas e esforçar-se para não mais viver em mentiras. Nosso Deus fala: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1:9)

Esse é o Deus de infinita misericórdia para com cada filho e filha Seus. Que você e eu escolhamos a partir daqui lutar para viver em verdades, e desfrutar de uma vida de paz, alegria, amor e bênçãos sem igual dAquele que é o Nosso dono e tem por nós um amor milagroso.

Não é tarefa suave viver em verdades, mas devemos buscar a Deus de coração para permanecermos conectados a Ele, porque existe um ser que não quer que ninguém seja feliz, o Pai da mentira.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Simples assim


Falo ao coração que pode ter experimentado conhecer Jesus. Obras ou fé? Quem lhe salva?

Vou dividir a vida de uma pessoa aqui para fins de reflexão espiritual, em duas partes: antes de conhecer a Jesus (aJ), e depois de conhecê-lo (dJ). O que se fez no tempo do aJ não mais importa, porque quando você conhece e aceita Jesus, Ele apaga seus erros, culpas, e uma nova vida passa habitar em você. Em relação a isso não há o que discutir.

O perigo reside quando estamos no tempo do dJ. Nesse tempo específico muitos começam a viver apenas as obras: guardar sábados, devolver dízimos, ir à igreja, não comer certos alimentos, nem beber determinadas bebidas, entre uma infinidade de outras.

Então subitamente dentro da mente de milhares daqueles que aceitaram Jesus, se inicia um processo, onde essas pessoas acreditam que devem fazer a sua parte para alcançar a salvação, e sem perceberem passam a viver as obras da lei: salvação por mérito próprio, ganho de pontos com Deus.

A questão é que existem duas formas de continuar a viver, e uma delas é ser obediente o tempo todo à lei do Criador. Eu não consigo, você consegue? Antes de o homem pecar, não havia alguém que não conseguisse, porque o pecado ainda não estava no DNA da raça humana. No entanto, com o pecado, você e eu vivemos a maldição da lei, como Paulo, apóstolo, descreve no capítulo 3 da carta de Gálatas.

O que é a maldição da lei? Por nosso próprio esforço, tentando obedecer a Deus, nunca conseguiremos a vida eterna, simplesmente porque hora ou outra iremos nos desviar do caminho, seja em ações ou até mesmo em pensamentos. Não há hoje um ser que consiga respeitar a lei divina desde que se levanta até deitar-se. Embora, houve uma só pessoa depois da Queda, que conseguiu viver obediente todos os dias da sua vida, essa pessoa é o Filho, o próprio Jesus.

Portanto, vendo a situação triste da condição humana, Deus por amor de você e de mim tinha um plano para vencer a maldição da lei: a salvação pela fé em Jesus, simples assim. E com esse plano, Jesus vem para abolir a maldição que nos foi colocada pelo pecado, a maldição de não podermos ser salvos pelas obras da lei.

Não se iluda: você não será salvo e nem salva por melhor que seja com os outros e com Deus, porque a maldição está sobre o seu sangue, assim como o meu. Mas você pode conseguir aceitando com o coração que Jesus morreu para apagar todas as suas faltas.

E a conseqüência desta aceitação é buscar viver em obediência às leis do Pai. A lei foi colocada com amor para lhe proteger, e não para lhe punir. Quando desobedecemos, não é porque seremos punidos, mas porque estaremos sujeitos a perigos. Uma exemplificação: a mamãe avisa a filhinha que não deve se aproximar das rosas porque elas têm espinhos. A filhinha com curiosidade e vontade escolhe desobedecer e se aproxima, e então ela se machuca com os mesmos espinhos.

Guarde para reflexão: “A pessoa que encontra vida, a encontrará por meio da fé em Jesus”. Gálatas 3:11

quarta-feira, 6 de maio de 2009

pre Ocupação


Você se preocupa com freqüência? O texto de hoje é para refletirmos no propósito e os efeitos de nos preocuparmos. Será que existem ganhos nesse tipo de comportamento?

Se separarmos a palavra preocupação teremos pré ocupação. Portanto, preocupação é ocupar a mente antecipadamente com alguma coisa que ainda não aconteceu de fato. Por que fazemos isso?

O ser humano é por natureza imediatista. É sabedoria quando ele aprende a esperar, a desenvolver paciência e se esforçar para não se preocupar. A preocupação não vai alterar o que irá acontecer, talvez até atrapalhe, visto que da preocupação, a ansiedade aparece e com ela pode entrar em cena coisas desastrosas em decorrências de nosso comportamento “tem que ser agora”.

A origem da preocupação está em nossos pensamentos. Eles são a fábrica produtora de coisas que ainda não aconteceram, mas que já passam a produzir substâncias químicas para todo o corpo se preparar. Percebe que você é afetado por um evento futuro ao qual você não tem certeza se acontecerá, porque é fruto puro da sua imaginação.

Há algo curioso nesse processo. Quando nos preocupamos com alguma coisa “ruim”, que nos traga medo, desespero, a chance de isso virar uma cena concreta aumenta muito. Provavelmente porque iremos agir na emoção, lembrando que a carga química sobre seu corpo já alterou sua percepção real dos acontecimentos e isso é perigoso.

Por outro lado, se adotarmos um comportamento de evitar pensamentos que se caracterizam por preocupantes, a probabilidade de que suas escolhas tomem um rumo diferente e produtivo para você, aumentam exponencialmente, porque sua mente está atenta e gerenciando as conseqüências ao seu redor.

O maravilhoso Deus nos deixou um conselho sobre a preocupação: “Por isso, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades”. (Mateus 6)

Se temos uma orientação tão valiosa e rica, por que não a seguimos? Reflita, converse com Deus, Ele certamente lhe dará respostas e estímulos para deixar o comportamento preocupante e tão prejudicial aos seus relacionamentos.

O maior ganho que a preocupação traz é ocupar mente e tempo, só que é um ganho não para mas contra você, porque irá interferir em suas escolhas, o que quase sempre não será o melhor para a sua vida.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Removeu o véu


Adonai Amore: Deus é infinito, você não. Ele quer muito se relacionar com você, mas se relacionar implica em conhecer. E para você e eu é impossível conhecer Alguém infinito. A menos que Ele se faça conhecer. E Deus por amar muito o ser humano removeu o véu que o cobria e se revela através da natureza, da consciência humana, falou por meio de profetas, demonstrou Seu amor e caráter através da Biblia e assumiu a nossa natureza na pessoa de Cristo.

Tudo isso é um forte sinal de que Deus está muito mais próximo do que você imagina. Ele nunca abandonou um filho e filha, viu? Saiba que Deus é seu escudo e está com você quando deita, adormece e se levanta para um novo dia. A natureza criada é símbolo da sabedoria, poder e bondade de um Deus que é 100% amor.

O sábado é para você descansar(corpo e mente). Deus criou com esse propósito. Êxodo 31;12-13 "Certamente, guardareis os Meus sábados, disse o Senhor Deus"

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Compras & Carências


A reflexão é inspirada no filme “Os delírios de consumo de Beck Bloom”, e nos traz insights para nossos relacionamentos. É apenas uma visão das compras, certamente há outras.

Já parou para pensar o que pode estimular um coração a chegar numa loja e comprar um, dois, ou quem sabe muitos itens num delírio impulsivo de compras? O que poderia estar por trás disso?

Cada pessoa possui necessidades que precisam de preenchimento, umas em menor, outras em maior grau, essas necessidades são afeto, carinho, atenção, diálogo, que iremos chamar o conjunto de carências, quando não atendidas. Mas o que todo esse conjunto representa? Sentimentos acompanhados de ações com o propósito de nos fazer sentirmos valorizadas como pessoas. A conseqüência é um ciclo de felicidade que inunda a alma. A sensação é próxima de ficar mais leve, enxergar o mundo com cores ainda mais vibrantes.

Agora o que acontece quando nos sentimos e vivemos carentes? O desequilíbrio passa habitar. Uma sensação de extrema falta começa a tomar conta de nosso âmago. Passamos a enxergar através das lentes da imperfeição, do desagrado, da irritabilidade, porque a conexão entre o eu e o mundo de fora está num profundo descompasso.

É nesse momento ser possível encaixar o processo de compras impulsivas. As compras simulam o emocional ideal. O ato de entrar numa loja escolhida já dispara uma sensação de prazer, e quando a compra se concretiza, ela vem a preencher parte de nossa carência, ainda que de forma primitiva. Entenda: assim como nossa sobrevivência física depende do ar que respiramos, a vida emocional depende de reforçadores positivos para permanecermos de pé.

O primeiro problema é que esse preenchimento de carências via compras é de curtíssimo prazo, além de não substituir os verdadeiros reforçadores que cada alma precisa. O segundo problema é de ordem financeira: o buraco no coração pode gerar um rombo ainda maior na conta bancária. E por último: se relacionar com as compras não acaba sendo um relacionamento dos mais saudáveis. Por quê?

Pelo motivo de que você e eu precisamos de calor humano. Deus não nos criou para vivermos isolados, nem para que as compras substituam o papel que outras pessoas deveriam fazer em nós. Assim como Deus é amor, e recordando que fomos criados à semelhança dEle, logo também somos amor. E amor precisa de amor, do contrário ficamos presos, limitados, e um vazio acaba nos preenchendo, e isso acaba se tornando um sinal de algo errado dentro, fora e até mesmo envolta de nós.

As compras têm o seu lugar bem definido na vida social, e podem por um tempo tomar emprestado o papel das carências. Mas não devemos desistir de viver calor humano que possa proporcionar o completo bem estar que tanto necessitamos. E se relacionar com Aquele que deseja muito suprir cada carência nossa, o Deus que um dia pensou e assim nascemos na mente do Criador, muito antes de nascer da união do DNA de nossos pais.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sinal verde: Felicidade em ciclos


O tema felicidade é sempre abordado aqui vez ou outra, por ser um tema que eu caço com unhas para mim. E, portanto, sempre que posso venho trazer novas reflexões acerca dela.

Por experiência de vida, você e eu chegamos a uma conclusão, se não era consciente agora poderá ser: é impossível permanecer feliz vinte e quatro horas por dia, sete dias da semana. Por que será? Por infinitas razões que a nossa existência carrega consigo: egoísmo, orgulho, medos, desânimos, frustrações, perdas, conflito de interesses. Todos estão sujeitos a esses sentimentos estranhos que como intrusos entram em nós quando menos esperamos.

Mas a mesma vida me leva a uma observação: são nos pequenos momentos que encontramos a verdadeira felicidade. São pequenos por serem de duração rápida, e simples de se conseguir como o descascar de uma laranja.

Passar uma tarde com os melhores amigos conversando, ou quem sabe investir um tempo brincando com seus filhos, ou ainda planejar e realizar um programa com a pessoa amada e ao fim deste programa como resultado ver os olhos dela brilhando como diamantes pela alegria do momento que estiveram juntos.

São tantos os pequenos momentos de felicidade que podemos criar ou então aceitar receber quando batem à nossa porta, e isso nos leva a uma conclusão: viver feliz envolve sabedoria para gerir os pequenos momentos. Gerir implica em saber planejar a felicidade, realizá-la, administrar esse tempo para fazê-la ser com qualidade e ter consciência de que tem um início, meio e fim, portanto, um ciclo, como tudo na vida.

Deus nos proporciona ciclos de felicidade e nós devemos pedir a Ele sabedoria para gerir cada ciclo. Sabedoria significa saber fazer o melhor uso da felicidade que se coloca a nossa frente lembrando que a felicidade tem tempo para começar e tempo para terminar.

Quando passamos a ter consciência clara de que a felicidade se faz em ciclos fica mais fácil tocar a vida. Podemos ainda enxergar a felicidade através dos sinais de trânsito: verde e vermelho. Na situação vermelha, significa que ainda não estamos dentro de um ciclo, e, portanto, cabe a nós buscar mais um ciclo, assim como pedir a Deus também. Já quando o sinal está verde, você saberá que estará vivendo mais um ciclo de felicidade.

Uma pergunta que você precisa lhe fazer hoje: eu vivo mais nos sinais vermelhos ou verdes da minha vida? Se a resposta for vermelho, então pare tudo, olhe pra Cima, peça a Deus sabedoria, coragem e força para tomar uma atitude em busca dos sinais verdes pra você.

Guarde para reflexão: “O Rei se alegra com a tua força. Ele vibra de alegria com a tua salvação, Cumpriste os desejos que ele tinha no coração, respondeste todas as suas orações” Salmo 21:1-2

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Controlando a ira


Você e eu fomos dotados da capacidade de sentir: medo, alegria, raiva, entre uma infinidade de emoções. É bom sentir e existe um propósito para cada sentimento que expressamos.

Podemos aceitar a ira como um agente de mudanças, porque quando estamos irados é porque algo está errado e é necessário que mudanças aconteçam em nossa vida. Não confunda ira com agressão. A agressão é um comportamento para prejudicar alguém que nos machucou e a ira é uma preparação física para agir em decorrência de uma ameaça, frustração, dor que se apresenta para você.

O problema não reside em sentir a ira, visto que é saudável sentir ira, mas o que você irá fazer com este sentimento, é onde está o perigo para os seus relacionamentos. A ira provoca a interrupção da comunicação, perpetua o pensamento da ira, ou seja, ira gera mais ira, e nos faz sentirmos vítimas da situação.

Guarde para você: “O ser humano é movido e perturbado não pelas coisas, mas pela interpretação que ele faz acerca delas”. Pensamento extraído da filosofia e totalmente aplicado ao sentimento de ira. Porque essa emoção depende da interpretação que fazemos das coisas. Nem tudo que parece realmente é.

A Bíblia, como o Livro dos livros, nos traz conselhos e advertências sobre esse sentimento: “Esteja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar, porque a sua ira não produz a justiça de Deus” (Tiago 1:19-20) Salomão também tem um recado pra você: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Provérbios 15:1)

Está contundente, cristalino que colocar seu sentimento de ira pra fora na forma de palavras que machuquem o outro, ou que venham agredir emocionalmente e até mesmo fisicamente, não é saudável para você, porque ira só gera mais ira aumentando o desejo de vingança e a necessidade de ferir o outro para sentir alívio da sua frustração.

Stephen Covey afirma: “entre um estímulo, um fato que aconteça na sua vida, e a resposta que você dará a esse estímulo, há um espaço de tempo, onde você determina o que fará”. Você escolhe com o que se aborrecer e como reagir à ira.

Sabe qual é o caminho para você administrar a sua ira? Buscar o perdão de Deus:
1)Reconheça que você é pobre espiritualmente, como um grão de areia perdido numa imensidão;
2)Ao reconhecer sua pobreza espiritual, você irá chorar por dentro;
3)Então, você receberá o perdão de Deus e a calma inundará a sua vida;
4)Com calma, você terá fome e sede de fazer a vontade de Deus que é perdoar aqueles que os tem ofendido.

Mas cuidado: perdoar não significa abaixar a cabeça e permitir que continuem te machucando. Você perdoa, esquece e segue para uma nova vida. Perdoar e continuar recebendo as mesmas ofensas físicas ou psicológicas das mesmas pessoas, não é do plano de Deus para a sua vida.

Controle a sua ira, sempre se ame antes de amar alguém e relacionamentos saudáveis te inundarão, porque você é a pessoa mais preciosa para Deus.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Obras da Lei


Você já analisou como é seu relacionamento com a Lei de Deus? E como isso se reflete em sua vida?

O homem, como raça, compara seu estilo de vida, com relação aos de outros. Realmente se compararmos o nosso viver com o de alguém, encontraremos situações piores daquela que levamos. Provocando assim, nossa permanência numa zona de conforto, enganando a nós mesmos e escondendo a realidade dos fatos. Qual é essa realidade?

Será que ter uma vida reta é suficiente para se sentir seguro de ameaças? Viver em conformidade com o que é julgado bom lhe garante infinitos dias de bonança? Onde você e eu estamos falhando?

Muitos acreditam que ao fazer as obras da lei: não adulterar, não roubar; basta para garantir a sua segurança aos olhos de Deus. No entanto, obras não salvam e nunca salvarão ninguém. Porque se modificarmos a direção nas comparações, deixando de fazer comparações na horizontal, homem a homem, e passarmos a fazer comparações na vertical, homem a Deus, chegaremos a uma conclusão: somos todos pecadores, iguais, por mais diferentes que possamos ser aos olhos humanos.

E o próprio Deus se fez homem para abrir nossos olhos e enxergamos a nossa realidade. Realidade que escondemos quando nos agarramos às práticas da Lei e fazemos disso o nosso escudo protetor. Não estou dizendo que viver em harmonia com a Lei não é bom, mas se isso nos torna perfeitos a nós mesmos, nos tornamos presos e corremos grandes perigos.

Aqueles que param de olhar para os outros com superioridade, e passam a tomar a suas vidas e compará-las a Deus, eles descobrem que estão muito longe de viver uma vida reta, por mais que se esforcem, simplesmente porque não são e nunca serão perfeitos na vida de cá.

Paulo, apóstolo, nos revelou o segredo: olhar para a Lei e comparar nosso estilo de vida a Deus, nos mata. E então, se reconhecermos a graça maravilhosa de Deus através de Seu Filho, recebemos vida nova, e assim, todas as coisas velhas já passaram, porque não somos nós que vivemos em nós, mas é Jesus quem vive agora em nós, e as obras da Lei passam a ser resultados desse novo viver dentro de você e de mim.

Portanto, não se prenda às aparências, nem se deixe levar pelo seu estilo de vida, quer seja bom ou ruim como julgamento, mas procure olhar para Cima, entregando o seu viver nas mãos do Seu Criador. Esse é o único caminho para você sentir segurança, por mais insegurança que sua vida possa refletir hoje.

Guarde para reflexão: “Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Eu já fui crucificado com Cristo, eu próprio não vivo mais, e sim é Cristo quem vive em mim. E a vida que tenho agora é resultado da minha confiança no Filho de Deus, ao qual me amou e assim mesmo se entregou por mim”. (Gálatas 2:19-20)

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Milagre do coração


Adonai Amore:Você pode ter 30,40 ou mais anos e em nenhum momento seu coração deixou de bater ou bateu porque dependia de uma ordem sua. O coração pulsa no ritmo também não escolhido por você. Acordar e perceber que seu coração ainda bate é o maior sinal vital da conexão de Deus com a sua vida. Se milagres existem, e eles existem, possuir um coração que pulsa independente da sua vontade é um desses milagres.

Você tem hoje um coração que bate dentro de você, talvez misturado a dores, frustrações, desesperanças, medos, não importa, existe um coração que bate por decisão única de um só Deus, o Deus Amor. E Jesus deseja que enquanto seu coração bater, olhe pra Ele e faça dEle o seu melhor amigo.

Feliz sábado do Paizinho do seu coraçao!!
Levítico 23:32 “Sábado de descanso vos será, e afligireis as vossas almas; desde a tardinha do dia até a outra tarde, guardareis o vosso sábado.”

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Liberdade


Você é livre? Tem certeza?

E seu eu disser que você recebe influências externas sociais, por mais que você não queira. Na esfera bioquímica seu metabolismo e DNA contribuem para quem você é hoje. E o que dizer então de seus hábitos, da enxurrada de propagandas que bombardeiam sua mente elaborando paradigmas, modelos, pré-conceitos que ditam como você deve se comportar.

E você ainda acha que é livre? No fundo, nos constatamos tão limitados que podemos chegar a seguinte conclusão: estamos psicologicamente presos. Presos por regras, medos, e por nós mesmos. Essa é a nossa realidade quando olhada através dos seus e dos meus olhos: Ninguém é livre, por mais que não acredite.

Para entender a sutileza do que é ser livre, façamos uma analogia. Os pássaros existem para voar. Eles foram criados com esse propósito. E você foi criado com que propósito maior? Guarde: você, como pessoa, foi criada para ser amada. E quando o ser humano vive achando que não é amado, é como um pássaro que arrancaram suas asas e assim perdeu sua capacidade de voar.

O quão é triste constatar que perdemos a capacidade para aquilo que fomos criados. Está no seu sangue, no seu coração, você existe para ser amado como ser, antes de qualquer outra coisa. Então liberdade tem a ver com ser amado por alguém? É mais do que isso, está intimamente relacionado em sermos amados por Deus.

Deus lhe criou porque Ele escolheu amar você antes. Talvez agora você não se dê conta da magnitude desse amor, mas tem tudo a ver com a sensação de liberdade. Por mais que a gente procure liberdade fora de Deus, a gente vai se cansar e não irá saciar nossa sede, nem fome, porque a liberdade está dentro de um processo de relacionamento com Aquele que é humano, portanto limitado à nossa existência, mas ao mesmo tempo, divino, estou falando de Jesus.

Ele é a Verdade que nos dará liberdade plena. Essa é a visão que devemos ter em mente. É com essa visão que devemos acordar a cada dia com vontade de viver, independente do que lhe aconteceu nos dias passados. E repetir, sempre que sentir desânimo diante das circunstâncias da vida: “Posso”, posso passar pelo desemprego, pela perda de uma pessoa muito amada, posso ser traído, posso perder minhas atuais referências, posso passar por dificuldades no meu trabalho, posso ficar doente, posso todas as coisas no Deus que me fortalece.

Você e eu podemos, porque Deus nos dá força, coragem, ânimo para enfrentar o que vier, e sabe como? Lembrando que você é muito amado por Deus. E, portanto, o propósito de você existir está preenchido, e muito bem preenchido, e, portanto, você se sentirá livre quando você entrar num relacionamento real com Aquele que no principio era o Verbo, e que por amor, o Verbo se fez Carne e habitou entre nós.

Que Deus é esse, que sai da Sua casa, se faz cem por cento humano, para viver o que você e eu vivemos a cada dia? É Deus que ama você, e quer muito iniciar um relacionamento de amor e respeito com você, apenas volte-se para Ele.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Filho


Adonai Amore: Somos filhos de um mesmo Pai, que nos conhece profundamente, entende cada dor que muitas vezes um outro coração não consegue captar. Ter noção clara desta revelação nos traz conforto, porque sabemos que somos aceitos, mesmo não merecendo, e sempre haverá a mão estendida para que nós voltemos ao braço do Pai. Se conseguissemos enxergar 1% do que nosso Pai vê lá na frente, não ficaríamos ansiosos, preocupados, nem tristes com o futuro.

Um feliz sábado de descanso a você, filho e filha do único Deus vivo.
Lucas 4:16 “Chegando a Nazaré, onde Jesus foi criado; entrou na sinagoga no dia de sábado, segundo o seu costume, e levantou-se para ler.”

quarta-feira, 25 de março de 2009

Tudo bem


Com que freqüência, respondemos “tá tudo bem” quando nos indagam de nossa vida?

Percebe-se no dia a dia dos relacionamentos em trabalho e também do coração uma resposta que muitas vezes não é verdadeiramente aquela que carregamos no momento. Podemos estar tristes, aborrecidos, mas mesmo assim insistimos na frase “tá tudo bem”.

Parece que o ser humano aprendeu a amortizar as emoções para os outros, para ele e quem sabe até para Deus. Criamos uma coraça temporária para enganar nossa mente de que sempre estamos bem, e comunicamos a falsa mensagem ao mundo exterior.

Observe à sua volta quantas pessoas dizem no dia “tá tudo bem” e nos bastidores da sua alma, pode não estar nada bem. Pelo contrário, a pessoa talvez esteja com gritos silenciosos de socorro, suplicando misericórdia aos homens ou aos Céus pela sua atual condição de existência. Ela pode estar em vias de morrer para o seu eu, não por causa de Deus, mas por uma vida que ela não vê saída.

Quem diz “tá tudo bem” pode estar vivendo na realidade um vazio desesperado, onde nada mais faz sentido, nem trabalho, amigos, igreja, família conseguem preencher o vazio sepulcral que ela sente. E para o mundo ela transmite através da fala uma mensagem em profundo contraste com seu viver.

A fala pode dizer “tá tudo bem”, mas a vida humana continuamente emite sinais do real status de nosso viver. Através do corpo cansado, da ansiedade, de doenças, com sinceridade, respondemos como estamos. Você pode enganar os outros, até a si próprio, mas você não consegue enganar o seu corpo.

Deus é o único capaz inteiramente de te compreender e diagnosticar com precisão como você está. Ele é quem permanece ao seu lado nos momentos de alegria e também de profunda dor. Quando você chora, Deus também chora, quando você se angustia, Deus também se angustia pelo seu problema. Nenhum ser humano consegue captar o que muitas vezes você está sentindo.

E esse mesmo Deus diz com a mesma frase, porém em conotação diferente: “tá tudo bem, não importa quem você foi e o que viveu até aqui, farei de você um vaso novo, custe o que Me custar, porque você é a pessoa mais linda que Eu tenho, e nada poderá afastar você do Meu amor”. Ele grita essa mensagem em cada capítulo de Sua carta para você, tanto que deu a maior prova disso: a vida de Seu único Filho para que você tenha vida em abundância.

Guarde para reflexão: Jeremias 18:3-6 “Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, oh casa de Israel? Diz o Senhor: “Eis que como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, oh casa de Israel”.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Pai


Adonai Amore: Deus antes de ser o Criador Todo poderoso e que pode todas as coisas, Ele é Pai. Quem se preocupa com você hoje e amanhã mais do que qualquer outra pessoa. Não duvide: ninguém quer cuidar mais de você do que esse Paizinho, que na verdade, é um baita Paizão. Ele fará maravilhas dentro de você e ao seu redor, apenas olhe pra Ele e o verá Dando Equilíbrio, hUmildade, Saúde física, mental e espiritual.

Feliz sábado!!
Gênesis 2:2 "E havendo Deus acabado no sábado a obra que fizera, descansou no sábado e abençoou Deus o sábado, e o separou para o descanso do ser humano"

Adonai Amore é uma lembrança do quanto Deus é Senhor e Amor ontem, hoje e sempre para você.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Posicionamento


Você, como ser humano, precisa refletir profundamente no sentido da palavra posicionamento. Ela é crítica no que diz respeito às conseqüências que suas escolhas trarão, podendo tender para o bem como para o mal.

Percebo como observador e também ator, grandes dificuldades de praticar o posicionamento quer no campo profissional, afetivo, bem como no espiritual. Mas afinal, o que é posicionamento nos relacionamentos?

Posicionar-se é escolher uma determinada direção e segui-la com toda sua força, coragem, determinação, sem olhar pra trás. Foi o que Deus pediu de Ló e sua família ao dizer: “Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças. (Genesis 19:17)

E quando não nos posicionamos, ficamos inertes como ocorreu com a mulher de Ló, e mais tarde perecemos em nosso viver. É agradável a Deus que a gente se posicione sempre na vida. Talvez alguns levem mais, outros menos tempo, mas é preciso se posicionar, é vital.

No entanto, há um fator chave que impede o posicionamento, o medo do desconhecido, e abrir mão daquilo que você acha que ainda tem. Guarde para você: o medo é a força motriz que nos leva para trás, quando é um medo fruto da nossa imaginação. É o medo que sufoca nossa respiração, nossos pensamentos, ações, nossa existência como filhos de um Deus Amor.

Às vezes precisamos de tempo para elaborar em nossa mente a direção que iremos tomar, bem como pedir dos Céus forças e coragem, mas há um momento, e ele é único que temos que nos posicionar, é de suma relevância, e se deixamos o momento passar, nossa vida passará junto, sem grandes chances de retorno, uma vez que iniciamos um processo de nos tornar estátuas de nós mesmos.

Há um provérbio italiano: “Da felicidade para o sofrimento é somente um passo, do sofrimento para a felicidade parece demorar uma eternidade”. O quanto você está demorando em se posicionar nas questões que tem hoje com você?

Quanto tempo mais você levará em seguir uma crença que não tem as verdades para a sua felicidade? Perdeu o chão? Perdeu suas referências? Se sente alma avulsa? Não se preocupe, Deus irá recriá-las de uma forma jamais pensada por qualquer ser humano. Para quem secou o Mar Vermelho, o Rio Jordão, secará também tudo que for necessário em você.

Porque absolutamente nada é impossível às mãos do Criador. Ele fará novas referências, nova terra, dentro de você e aqui onde habitamos, encherá sua vida de significado e existência. Apenas se posicione.

Guarde para reflexão: 1 Coríntios 2:9 : “O que ninguém nunca viu ou ouviu, e o que alguém jamais pensou que pudesse acontecer, isso foi o que Deus preparou para aqueles que o amam”

quarta-feira, 11 de março de 2009

Asas do coração


Você acredita que é dotado(a) de asas e que pode realmente voar? Ou as asas são somente para pássaros?

Classifiquemos o ser humano em dois grandes grupos: os que acham que não tem asas e os que voam com toda coragem sempre olhando para Cima, além das nuvens visíveis. Nesse momento pergunto: em qual grupo você se vê e está hoje?

Aqueles que acham não dotados de asas são fortemente influenciados por uma entidade superior quer seja religiosa, familiar, profissional, cujo seu propósito maior é convencer você de que é incapaz de voar. E assim mantê-lo(a) em uma condição de vida muitas vezes abominável aos olhos de Deus, mas prazerosa, agradável, até mesmo desejosa às vistas dos homens.

Quem de verdade acredita não possuir asas para voar são caracterizados por viverem na base de medos e culpas inputadas pelas entidades já mencionadas e também pela própria consciência dos que se acham sem asas. Com freqüência, o processo de fazer você acreditar que não pode voar se inicia lá na infância onde sua educação, passado de modo coercitivo, e caráter são formados e alimentados ao longo de toda sua existência.

Descobrir por que você acha que não tem asas é complexo aos olhos de qualquer um que julga pelo que vê, em contraposição aos olhares sábios, justos e amorosos de Deus, que olha pra sua vida como um livro aberto. No entanto, em seu íntimo você sabe que pode voar, apenas tem medo, o que é natural já que voar implica ir rumo ao desconhecido, não se tem a segurança da terra firme e nem das placas de sinalização das ruas e estradas.

Agora quando você se convence de que tem asas, pode voar e tem coragem para alçar vôos, a sua vida nunca será a mesma, estará sempre em transformação, descobertas e crescimento. É como comparar o dia a dia de uma galinha com o de uma águia: a galinha cisca aqui cisca ali, mas está sempre no mesmo lugar, a águia não, está sempre conhecendo o novo, dando a cada dia uma chance para que sua vida seja plena e feliz.

Para mim, viver é saber que temos asas, estar confiante em Deus, presente a cada segundo, e partir com prudência, sensatez e sabedoria para vôos nunca dantes realizados. As asas foram dadas a todos nós, mas o pecado inseriu no DNA da vida humana barreiras grandiosas para ficarmos apenas ciscando.

O conselho que dou você para se convencer de que tem asas, pode voar, é buscar conhecer Aquele que lhe dotou de asas poderosas, pois ao conhecê-Lo, você ganhará confiança vinda dos Céus, e então estará um passo para dar o primeiro grande passo e realizar vôos que mudarão sua vida para sempre, lhe trazendo relacionamentos significativos e repletos de esperança, alegria e muito amor.

Guarde para reflexão: Isaías 40: 31: “Aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fadigam”.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Sopro de Deus


Dos livros que conhecemos para nos apoiar em decisões, aumentar nossa auto-estima, nos orientar, existe o livro dos Livros chamado Bíblia Sagrada. Em 2 Timóteo 3:16:17: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, corrigir, orientar, instruir. Para que Seus filhos sejam perfeitos e instruídos para toda boa obra”.

A Bíblia é como um manual do fabricante, ali há passos que se bem seguidos nos tornarão felizes, independente de pessoas ou momentos, além de conter o mapa para uma vida além do rio.

Não sei o quanto você acredita nesse Livro nem em suas promessas, mas posso afirmar com certeza: tudo que ali está é bom e corresponde ao sopro de Deus para os corações humanos. Talvez ao ler, você não compreenda muita coisa, não tem importância, é Deus quem nos capacita interpretar com sabedoria a Sua Carta de amor.

A Bíblia é composta de sessenta e seis livros, escrita por quarenta autores que viveram em épocas e costumes diferentes. Para seu conhecimento: Moisés, que escreveu o livro de Gênesis, e João, autor de Apocalipse, há uma distância de 1500 anos e, no entanto, a principal mensagem permanece inalterada. Coincidência ou providência divina?

Esse Livro é tão diferente de qualquer outro, que uma vez tomado com profunda humildade, ele possui o poder de transformar vidas. Conduz pessoas a abandonarem hábitos, se livrarem de vícios, a melhorarem alimentação e estilo de vida. No campo psicológico as mudanças são ainda mais profundas: se consegue mais paciência, menos ansiedade, aprimora a interação do ser humano com o ambiente buscando relacionamentos mais significativos.

É o canal que temos a nossa disposição para saber de onde viemos, quem somos e para onde vamos. Ainda oferece a oportunidade de você conhecer o seu maravilhoso Deus que lhe criou. E através desse mesmo Livro passamos a nos relacionar com Ele em todos os momentos de nossa vida e percebemos o quanto somos dependentes do Criador.

A Bíblia lhe dá também a força, coragem que você precisa para tomar decisões que farão a diferença para você e para aqueles que estão ao se redor. Ela é uma expressão do verdadeiro amor de um Pai que não se esquece dos Seus filhos e deseja ardentemente que você fique bem e seja uma pessoa imensamente feliz.

É difícil ler? Muitas passagens sim, mas existem literaturas, igrejas e pessoas dentro delas com profundo conhecimento e didática, que podem ajudar você a entender cada vez mais as mensagens sopradas ali por Deus. Não abra mão de conhecer a Carta que Deus escreveu para você, ela é o caminho para a sua liberdade e eterna felicidade.

Fica para sua reflexão: “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo”. 2 Pedro 1:21

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Prisão de sonhos


A reflexão é com base no filme “Vanilla Sky”. Há lições de vida que podemos aplicar para você e para mim.

O Filho de Deus disse: “No mundo tereis aflições” (João 16:33). É fato que viver a realidade dos acontecimentos não é tarefa das mais fáceis. Sentimos pavor, tristeza, desilusão, perdas, e uma infinidade de emoções que desejaríamos não experimentar.

Ao escolher não sentir ou se esquivar daquilo que o coração vai gritar, podemos então nos esconder atrás de nós mesmos, dos outros e quem sabe do próprio Deus, buscando justificativas para sustentar nossa atual condição. Acontece comigo, e com você, já aconteceu?

Temos um assombroso medo de enfrentar a realidade e as consequências das nossas escolhas, que pintam nosso quadro de vida de cada dia. É mais fácil viver na ilusão de uma vida que no fundo não temos e que achamos ter o controle. Porque o ser humano se desespera quando vê que não tem o controle das coisas. Então se faça uma pergunta para dentro de si: O que é felicidade para mim?

Posso lhe garantir que sonhos não deixam ninguém feliz por muito tempo. Pelo contrário, podem tornar a vida mais amarga do que você e eu podemos imaginar. Há uma frase do filme: “o doce só se revela tão doce quando você experimenta do amargo”.

Por mais difícil que sua vida possa estar, é enfrentando-a de frente, apostando alto no que você quer pra você, sem medo de se arriscar que então você perceberá o quanto é feliz ao viver a realidade e assim experimentar o doce.

Para se libertar dos sonhos você precisa acreditar que existe um Ser Superior que cuida de você enquanto seu coração estiver batendo. “O Senhor é o meu pastor; nada me faltará, guia-me mansamente a águas tranqüilas, refrigera a minha alma; ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo”. (Salmo 23)

Não duvide, Ele se preocupa com você, está sempre ao seu lado mesmo quando você acha que não está e quer que você viva transferindo para Ele o controle da sua vida. Há mais sabedoria do que colocar nossas vidas nas mãos do dono do Universo? Aquele que tudo vê e que tudo pode?

A sua vida pode estar hoje presa aos sonhos que parecem lhe dar alguma segurança, mas abra seus olhos: nenhum sonho pode ser tão doce quanto viver a realidade da própria vida e sob a dependência constante de Deus. E fica uma mensagem: “a cada minuto que passa, você pode mudar tudo à sua volta”.

Guarde para reflexão: 1 Coríntios 15:20 "Mas o fato é que Cristo realmente ressuscitou dentre os mortos e tornou-se o primeiro entre muitos que algum dia voltarão à vida"

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.