quarta-feira, 29 de abril de 2009

Compras & Carências


A reflexão é inspirada no filme “Os delírios de consumo de Beck Bloom”, e nos traz insights para nossos relacionamentos. É apenas uma visão das compras, certamente há outras.

Já parou para pensar o que pode estimular um coração a chegar numa loja e comprar um, dois, ou quem sabe muitos itens num delírio impulsivo de compras? O que poderia estar por trás disso?

Cada pessoa possui necessidades que precisam de preenchimento, umas em menor, outras em maior grau, essas necessidades são afeto, carinho, atenção, diálogo, que iremos chamar o conjunto de carências, quando não atendidas. Mas o que todo esse conjunto representa? Sentimentos acompanhados de ações com o propósito de nos fazer sentirmos valorizadas como pessoas. A conseqüência é um ciclo de felicidade que inunda a alma. A sensação é próxima de ficar mais leve, enxergar o mundo com cores ainda mais vibrantes.

Agora o que acontece quando nos sentimos e vivemos carentes? O desequilíbrio passa habitar. Uma sensação de extrema falta começa a tomar conta de nosso âmago. Passamos a enxergar através das lentes da imperfeição, do desagrado, da irritabilidade, porque a conexão entre o eu e o mundo de fora está num profundo descompasso.

É nesse momento ser possível encaixar o processo de compras impulsivas. As compras simulam o emocional ideal. O ato de entrar numa loja escolhida já dispara uma sensação de prazer, e quando a compra se concretiza, ela vem a preencher parte de nossa carência, ainda que de forma primitiva. Entenda: assim como nossa sobrevivência física depende do ar que respiramos, a vida emocional depende de reforçadores positivos para permanecermos de pé.

O primeiro problema é que esse preenchimento de carências via compras é de curtíssimo prazo, além de não substituir os verdadeiros reforçadores que cada alma precisa. O segundo problema é de ordem financeira: o buraco no coração pode gerar um rombo ainda maior na conta bancária. E por último: se relacionar com as compras não acaba sendo um relacionamento dos mais saudáveis. Por quê?

Pelo motivo de que você e eu precisamos de calor humano. Deus não nos criou para vivermos isolados, nem para que as compras substituam o papel que outras pessoas deveriam fazer em nós. Assim como Deus é amor, e recordando que fomos criados à semelhança dEle, logo também somos amor. E amor precisa de amor, do contrário ficamos presos, limitados, e um vazio acaba nos preenchendo, e isso acaba se tornando um sinal de algo errado dentro, fora e até mesmo envolta de nós.

As compras têm o seu lugar bem definido na vida social, e podem por um tempo tomar emprestado o papel das carências. Mas não devemos desistir de viver calor humano que possa proporcionar o completo bem estar que tanto necessitamos. E se relacionar com Aquele que deseja muito suprir cada carência nossa, o Deus que um dia pensou e assim nascemos na mente do Criador, muito antes de nascer da união do DNA de nossos pais.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sinal verde: Felicidade em ciclos


O tema felicidade é sempre abordado aqui vez ou outra, por ser um tema que eu caço com unhas para mim. E, portanto, sempre que posso venho trazer novas reflexões acerca dela.

Por experiência de vida, você e eu chegamos a uma conclusão, se não era consciente agora poderá ser: é impossível permanecer feliz vinte e quatro horas por dia, sete dias da semana. Por que será? Por infinitas razões que a nossa existência carrega consigo: egoísmo, orgulho, medos, desânimos, frustrações, perdas, conflito de interesses. Todos estão sujeitos a esses sentimentos estranhos que como intrusos entram em nós quando menos esperamos.

Mas a mesma vida me leva a uma observação: são nos pequenos momentos que encontramos a verdadeira felicidade. São pequenos por serem de duração rápida, e simples de se conseguir como o descascar de uma laranja.

Passar uma tarde com os melhores amigos conversando, ou quem sabe investir um tempo brincando com seus filhos, ou ainda planejar e realizar um programa com a pessoa amada e ao fim deste programa como resultado ver os olhos dela brilhando como diamantes pela alegria do momento que estiveram juntos.

São tantos os pequenos momentos de felicidade que podemos criar ou então aceitar receber quando batem à nossa porta, e isso nos leva a uma conclusão: viver feliz envolve sabedoria para gerir os pequenos momentos. Gerir implica em saber planejar a felicidade, realizá-la, administrar esse tempo para fazê-la ser com qualidade e ter consciência de que tem um início, meio e fim, portanto, um ciclo, como tudo na vida.

Deus nos proporciona ciclos de felicidade e nós devemos pedir a Ele sabedoria para gerir cada ciclo. Sabedoria significa saber fazer o melhor uso da felicidade que se coloca a nossa frente lembrando que a felicidade tem tempo para começar e tempo para terminar.

Quando passamos a ter consciência clara de que a felicidade se faz em ciclos fica mais fácil tocar a vida. Podemos ainda enxergar a felicidade através dos sinais de trânsito: verde e vermelho. Na situação vermelha, significa que ainda não estamos dentro de um ciclo, e, portanto, cabe a nós buscar mais um ciclo, assim como pedir a Deus também. Já quando o sinal está verde, você saberá que estará vivendo mais um ciclo de felicidade.

Uma pergunta que você precisa lhe fazer hoje: eu vivo mais nos sinais vermelhos ou verdes da minha vida? Se a resposta for vermelho, então pare tudo, olhe pra Cima, peça a Deus sabedoria, coragem e força para tomar uma atitude em busca dos sinais verdes pra você.

Guarde para reflexão: “O Rei se alegra com a tua força. Ele vibra de alegria com a tua salvação, Cumpriste os desejos que ele tinha no coração, respondeste todas as suas orações” Salmo 21:1-2

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Controlando a ira


Você e eu fomos dotados da capacidade de sentir: medo, alegria, raiva, entre uma infinidade de emoções. É bom sentir e existe um propósito para cada sentimento que expressamos.

Podemos aceitar a ira como um agente de mudanças, porque quando estamos irados é porque algo está errado e é necessário que mudanças aconteçam em nossa vida. Não confunda ira com agressão. A agressão é um comportamento para prejudicar alguém que nos machucou e a ira é uma preparação física para agir em decorrência de uma ameaça, frustração, dor que se apresenta para você.

O problema não reside em sentir a ira, visto que é saudável sentir ira, mas o que você irá fazer com este sentimento, é onde está o perigo para os seus relacionamentos. A ira provoca a interrupção da comunicação, perpetua o pensamento da ira, ou seja, ira gera mais ira, e nos faz sentirmos vítimas da situação.

Guarde para você: “O ser humano é movido e perturbado não pelas coisas, mas pela interpretação que ele faz acerca delas”. Pensamento extraído da filosofia e totalmente aplicado ao sentimento de ira. Porque essa emoção depende da interpretação que fazemos das coisas. Nem tudo que parece realmente é.

A Bíblia, como o Livro dos livros, nos traz conselhos e advertências sobre esse sentimento: “Esteja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar, porque a sua ira não produz a justiça de Deus” (Tiago 1:19-20) Salomão também tem um recado pra você: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Provérbios 15:1)

Está contundente, cristalino que colocar seu sentimento de ira pra fora na forma de palavras que machuquem o outro, ou que venham agredir emocionalmente e até mesmo fisicamente, não é saudável para você, porque ira só gera mais ira aumentando o desejo de vingança e a necessidade de ferir o outro para sentir alívio da sua frustração.

Stephen Covey afirma: “entre um estímulo, um fato que aconteça na sua vida, e a resposta que você dará a esse estímulo, há um espaço de tempo, onde você determina o que fará”. Você escolhe com o que se aborrecer e como reagir à ira.

Sabe qual é o caminho para você administrar a sua ira? Buscar o perdão de Deus:
1)Reconheça que você é pobre espiritualmente, como um grão de areia perdido numa imensidão;
2)Ao reconhecer sua pobreza espiritual, você irá chorar por dentro;
3)Então, você receberá o perdão de Deus e a calma inundará a sua vida;
4)Com calma, você terá fome e sede de fazer a vontade de Deus que é perdoar aqueles que os tem ofendido.

Mas cuidado: perdoar não significa abaixar a cabeça e permitir que continuem te machucando. Você perdoa, esquece e segue para uma nova vida. Perdoar e continuar recebendo as mesmas ofensas físicas ou psicológicas das mesmas pessoas, não é do plano de Deus para a sua vida.

Controle a sua ira, sempre se ame antes de amar alguém e relacionamentos saudáveis te inundarão, porque você é a pessoa mais preciosa para Deus.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Obras da Lei


Você já analisou como é seu relacionamento com a Lei de Deus? E como isso se reflete em sua vida?

O homem, como raça, compara seu estilo de vida, com relação aos de outros. Realmente se compararmos o nosso viver com o de alguém, encontraremos situações piores daquela que levamos. Provocando assim, nossa permanência numa zona de conforto, enganando a nós mesmos e escondendo a realidade dos fatos. Qual é essa realidade?

Será que ter uma vida reta é suficiente para se sentir seguro de ameaças? Viver em conformidade com o que é julgado bom lhe garante infinitos dias de bonança? Onde você e eu estamos falhando?

Muitos acreditam que ao fazer as obras da lei: não adulterar, não roubar; basta para garantir a sua segurança aos olhos de Deus. No entanto, obras não salvam e nunca salvarão ninguém. Porque se modificarmos a direção nas comparações, deixando de fazer comparações na horizontal, homem a homem, e passarmos a fazer comparações na vertical, homem a Deus, chegaremos a uma conclusão: somos todos pecadores, iguais, por mais diferentes que possamos ser aos olhos humanos.

E o próprio Deus se fez homem para abrir nossos olhos e enxergamos a nossa realidade. Realidade que escondemos quando nos agarramos às práticas da Lei e fazemos disso o nosso escudo protetor. Não estou dizendo que viver em harmonia com a Lei não é bom, mas se isso nos torna perfeitos a nós mesmos, nos tornamos presos e corremos grandes perigos.

Aqueles que param de olhar para os outros com superioridade, e passam a tomar a suas vidas e compará-las a Deus, eles descobrem que estão muito longe de viver uma vida reta, por mais que se esforcem, simplesmente porque não são e nunca serão perfeitos na vida de cá.

Paulo, apóstolo, nos revelou o segredo: olhar para a Lei e comparar nosso estilo de vida a Deus, nos mata. E então, se reconhecermos a graça maravilhosa de Deus através de Seu Filho, recebemos vida nova, e assim, todas as coisas velhas já passaram, porque não somos nós que vivemos em nós, mas é Jesus quem vive agora em nós, e as obras da Lei passam a ser resultados desse novo viver dentro de você e de mim.

Portanto, não se prenda às aparências, nem se deixe levar pelo seu estilo de vida, quer seja bom ou ruim como julgamento, mas procure olhar para Cima, entregando o seu viver nas mãos do Seu Criador. Esse é o único caminho para você sentir segurança, por mais insegurança que sua vida possa refletir hoje.

Guarde para reflexão: “Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Eu já fui crucificado com Cristo, eu próprio não vivo mais, e sim é Cristo quem vive em mim. E a vida que tenho agora é resultado da minha confiança no Filho de Deus, ao qual me amou e assim mesmo se entregou por mim”. (Gálatas 2:19-20)

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Milagre do coração


Adonai Amore:Você pode ter 30,40 ou mais anos e em nenhum momento seu coração deixou de bater ou bateu porque dependia de uma ordem sua. O coração pulsa no ritmo também não escolhido por você. Acordar e perceber que seu coração ainda bate é o maior sinal vital da conexão de Deus com a sua vida. Se milagres existem, e eles existem, possuir um coração que pulsa independente da sua vontade é um desses milagres.

Você tem hoje um coração que bate dentro de você, talvez misturado a dores, frustrações, desesperanças, medos, não importa, existe um coração que bate por decisão única de um só Deus, o Deus Amor. E Jesus deseja que enquanto seu coração bater, olhe pra Ele e faça dEle o seu melhor amigo.

Feliz sábado do Paizinho do seu coraçao!!
Levítico 23:32 “Sábado de descanso vos será, e afligireis as vossas almas; desde a tardinha do dia até a outra tarde, guardareis o vosso sábado.”

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Liberdade


Você é livre? Tem certeza?

E seu eu disser que você recebe influências externas sociais, por mais que você não queira. Na esfera bioquímica seu metabolismo e DNA contribuem para quem você é hoje. E o que dizer então de seus hábitos, da enxurrada de propagandas que bombardeiam sua mente elaborando paradigmas, modelos, pré-conceitos que ditam como você deve se comportar.

E você ainda acha que é livre? No fundo, nos constatamos tão limitados que podemos chegar a seguinte conclusão: estamos psicologicamente presos. Presos por regras, medos, e por nós mesmos. Essa é a nossa realidade quando olhada através dos seus e dos meus olhos: Ninguém é livre, por mais que não acredite.

Para entender a sutileza do que é ser livre, façamos uma analogia. Os pássaros existem para voar. Eles foram criados com esse propósito. E você foi criado com que propósito maior? Guarde: você, como pessoa, foi criada para ser amada. E quando o ser humano vive achando que não é amado, é como um pássaro que arrancaram suas asas e assim perdeu sua capacidade de voar.

O quão é triste constatar que perdemos a capacidade para aquilo que fomos criados. Está no seu sangue, no seu coração, você existe para ser amado como ser, antes de qualquer outra coisa. Então liberdade tem a ver com ser amado por alguém? É mais do que isso, está intimamente relacionado em sermos amados por Deus.

Deus lhe criou porque Ele escolheu amar você antes. Talvez agora você não se dê conta da magnitude desse amor, mas tem tudo a ver com a sensação de liberdade. Por mais que a gente procure liberdade fora de Deus, a gente vai se cansar e não irá saciar nossa sede, nem fome, porque a liberdade está dentro de um processo de relacionamento com Aquele que é humano, portanto limitado à nossa existência, mas ao mesmo tempo, divino, estou falando de Jesus.

Ele é a Verdade que nos dará liberdade plena. Essa é a visão que devemos ter em mente. É com essa visão que devemos acordar a cada dia com vontade de viver, independente do que lhe aconteceu nos dias passados. E repetir, sempre que sentir desânimo diante das circunstâncias da vida: “Posso”, posso passar pelo desemprego, pela perda de uma pessoa muito amada, posso ser traído, posso perder minhas atuais referências, posso passar por dificuldades no meu trabalho, posso ficar doente, posso todas as coisas no Deus que me fortalece.

Você e eu podemos, porque Deus nos dá força, coragem, ânimo para enfrentar o que vier, e sabe como? Lembrando que você é muito amado por Deus. E, portanto, o propósito de você existir está preenchido, e muito bem preenchido, e, portanto, você se sentirá livre quando você entrar num relacionamento real com Aquele que no principio era o Verbo, e que por amor, o Verbo se fez Carne e habitou entre nós.

Que Deus é esse, que sai da Sua casa, se faz cem por cento humano, para viver o que você e eu vivemos a cada dia? É Deus que ama você, e quer muito iniciar um relacionamento de amor e respeito com você, apenas volte-se para Ele.

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.