quarta-feira, 29 de abril de 2009

Compras & Carências


A reflexão é inspirada no filme “Os delírios de consumo de Beck Bloom”, e nos traz insights para nossos relacionamentos. É apenas uma visão das compras, certamente há outras.

Já parou para pensar o que pode estimular um coração a chegar numa loja e comprar um, dois, ou quem sabe muitos itens num delírio impulsivo de compras? O que poderia estar por trás disso?

Cada pessoa possui necessidades que precisam de preenchimento, umas em menor, outras em maior grau, essas necessidades são afeto, carinho, atenção, diálogo, que iremos chamar o conjunto de carências, quando não atendidas. Mas o que todo esse conjunto representa? Sentimentos acompanhados de ações com o propósito de nos fazer sentirmos valorizadas como pessoas. A conseqüência é um ciclo de felicidade que inunda a alma. A sensação é próxima de ficar mais leve, enxergar o mundo com cores ainda mais vibrantes.

Agora o que acontece quando nos sentimos e vivemos carentes? O desequilíbrio passa habitar. Uma sensação de extrema falta começa a tomar conta de nosso âmago. Passamos a enxergar através das lentes da imperfeição, do desagrado, da irritabilidade, porque a conexão entre o eu e o mundo de fora está num profundo descompasso.

É nesse momento ser possível encaixar o processo de compras impulsivas. As compras simulam o emocional ideal. O ato de entrar numa loja escolhida já dispara uma sensação de prazer, e quando a compra se concretiza, ela vem a preencher parte de nossa carência, ainda que de forma primitiva. Entenda: assim como nossa sobrevivência física depende do ar que respiramos, a vida emocional depende de reforçadores positivos para permanecermos de pé.

O primeiro problema é que esse preenchimento de carências via compras é de curtíssimo prazo, além de não substituir os verdadeiros reforçadores que cada alma precisa. O segundo problema é de ordem financeira: o buraco no coração pode gerar um rombo ainda maior na conta bancária. E por último: se relacionar com as compras não acaba sendo um relacionamento dos mais saudáveis. Por quê?

Pelo motivo de que você e eu precisamos de calor humano. Deus não nos criou para vivermos isolados, nem para que as compras substituam o papel que outras pessoas deveriam fazer em nós. Assim como Deus é amor, e recordando que fomos criados à semelhança dEle, logo também somos amor. E amor precisa de amor, do contrário ficamos presos, limitados, e um vazio acaba nos preenchendo, e isso acaba se tornando um sinal de algo errado dentro, fora e até mesmo envolta de nós.

As compras têm o seu lugar bem definido na vida social, e podem por um tempo tomar emprestado o papel das carências. Mas não devemos desistir de viver calor humano que possa proporcionar o completo bem estar que tanto necessitamos. E se relacionar com Aquele que deseja muito suprir cada carência nossa, o Deus que um dia pensou e assim nascemos na mente do Criador, muito antes de nascer da união do DNA de nossos pais.

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.