quarta-feira, 10 de junho de 2009

Órfãos dos Céus


Deus é Pai de todas as pessoas, saibam elas que Ele existe ou não. E muitos são os grãos de areia que não possuem a percepção da presença desse amoroso Pai cuidando delas dia e noite.

E por não terem a visão clara dessa revelação, seguem suas vidas. Acordam vez outra, sem disposição para dizer bom dia, se trocam e vão ao trabalho. Ali realizam suas tarefas, geram vendas, procuram aumentar sua visibilidade profissional, e retornam ao fim de mais um dia pra seus lares, sem se darem conta de que Deus estava com elas.

Esse grupo costuma compor os órfãos dos Céus. Vivem, tomam decisões, sofrem, alegram-se, e não tem conhecimento de que a vida delas também é guiada por Deus. Se soubessem as mensagens que só o salmo 23 já revela a elas: relacionamento, suprimento, descanso, cura, direção, propósito, provação, proteção, fidelidade, disciplina, esperança, abundância, benção, segurança e eternidade. Tudo isso e muito mais, encontramos na maravilhosa Carta de amor.

Mas acontece que Deus é Pai e, portanto, existem momentos específicos na vida de cada um, onde esse mesmo Deus, através da sua esplêndida graça, faz conhecer irmãos que reconhecem a paternidade do Criador. E mesmo assim, elas resistem acreditar, até mesmo aceitar a simples existência dEle. Mas Deus não desiste de mostrar que não somos órfãos, e estará tentando a todo custo demonstrar que Ele é o Pai que nunca falhará em Suas promessas de proteção e amor.

E quando esses órfãos se dão conta de que possuem um Pai. E que esse mesmo Pai escolhe participar a cada segundo de suas existências, essas pessoas tem suas vidas transformadas radicalmente. E passam a honrar o Criador no sucesso e no fracasso de suas tentativas. Honrar aqui significa aceitar com humildade os resultados que não temos controle, abrir mão de encontrar culpados, reconhecer nossos erros e virar a página daquilo que não mais tem linhas para continuarmos escrevendo.

Qualquer comportamento de insistência, de forçar, de usar da tática coercitiva para tentar alcançar nossos objetivos, está em desarmonia com a percepção de Deus em nossas vidas. Quem reconhece Deus o honra na alegria e na tristeza, e faz aquilo que depende unicamente de cada um fazer.

Uma ressalva para aqueles que dizem se professar filhos de um Deus vivo. Muitas vezes esquecem que são filhos e se vejam como órfãos mesmo dentro da igreja, mesmo se ajoelhando, porque no fundo não acreditam que Deus os ama ou colocam seus olhares nos homens que dirigem a igreja. Não acreditam na graça do Pai, porque esquecem que todas as coisas contribuem para o bem dos que amam realmente a Deus.

Guarde para reflexão: “Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome”. Apocalipse 3:8

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.