quarta-feira, 22 de julho de 2009

Sabor do maná

Essa reflexão você encontra com seus detalhes no livro de Números, capítulo 11, vale a leitura.

Quando foram libertos do poder dos inimigos, algo passou a cair dos céus para alimentar diariamente aquele povo que marchava rumo à terra prometida, e então exclamaram “maná” que significa “o que é isso”.

Maná tinha gosto de mel, misturado com azeite. Não se sabe ao certo com precisão seu sabor, mas certamente era precioso e que Deus provinha ao Seu povo. Há dois detalhes: ele precisava ser consumido no dia, se guardasse para o próximo, se estragava, e outro era que na sexta-feira de cada semana, Deus enviava uma porção dobrada do maná, porque no sábado nada Ele mandava, e essa porção especial não se estragava, tamanha a importância do sábado para Deus e a quem o negue ainda hoje.

Acontece que por muito tempo o povo recebeu só maná de Deus. Fazendo uma analogia, seria o mesmo que você e eu comêssemos nossa comida favorita continuamente. E então, as pessoas começaram a perder o sabor do maná em seus íntimos, porque saíram do foco. Passaram a se queixar fazendo-se lembrar que embora fossem escravos no Egito, havia ali comidas saborosas que podiam degustar. Essa queixa desagradou profundamente a Deus, porque tudo que Ele havia feito até ali era para o bem de cada filho Seu.

As pessoas se esqueceram do significado mais profundo do maná que nada mais era do se lembrar da provisão de Deus num local onde não havia nada, a não ser deserto de horizonte a horizonte. O maná era a proteção de Deus alimentando seu povo rumo a um destino reservado a eles. Era privilégio, e mesmo assim se esqueceram tornado-se insatisfeitos e queixando-se de que no Egito, na terra de escravos em que assumiam esse papel, eram mais felizes. Teria esse povo se tornado louco, ingrato?

O quanto você e eu em nossa caminhada rumo ao lugar além do rio, agimos da mesma maneira que aquele povo escolhido? Será que ainda mantemos o sabor do maná quando vamos à casa de Deus adorá-lo e louvá-lo? Ou será que ainda acordamos com aquela alegria do primeiro amor, e aqui explico: o dia que descobrimos existir um Deus que é amor, se fez amor e morreu por amor. 2 Coríntios 5:21

Certamente devemos cuidar para não perder o sabor do maná, da provisão de Deus para continuarmos as nossas lutas, ainda que muito difíceis, num mundo condenado à destruição. Devemos fazer nossas escolhas do dia sem olhar pra trás, e se alimentar diariamente do maná, que nos vem através do ouvir e do ouvir da Palavra de Deus Romanos 10:17.

As escolhas que você faz hoje, as pessoas com quem se relaciona, os lugares que freqüenta, as literaturas que lê, os programas que assiste, os sons que ouve, os alimentos que come, a palavra que sai da sua boca, os pensamentos que se formam, tudo influencia no sabor do maná que Deus envia a você a cada dia.

Ore a Deus para que você nunca perca o sabor do maná, que esse mesmo Deus ocupe seus pensamentos a todo o momento e que tenha a real noção da Sua proteção, cuidado e amor em abundância.

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.