sábado, 20 de novembro de 2010

Como quero beijar?


A pergunta é o centro da reflexão. Como queremos realmente beijar nessa vida? Qual é a qualidade dos relacionamentos que queremos alimentar?

Quando se fala em relacionamento amoroso, deve vir à nossa mente sempre dois tipos de beijo metaforicamente falando: o de pé e o de joelhos. São das atitudes que você tem em relação ao seu parceiro(a) que vai determinar como conseqüência se você beijará de pé ou de joelhos.

Beijar de pé é você ter amor próprio, se amar antes de pensar em amar alguém, é se respeitar, não aceitar a vontade egoísta do outro, é se valorizar acima de tudo e de todos. Também é não se expor, e sim, se preservar. É dar, mas também é receber. Pois quando só se dá e se recebe pouco ou nada, você seguramente não está beijando de pé, apenas não tem conhecimento disso.

E dar o quê? Dar seu tempo, sua paciência, atenção, carinho, dedicação, compreensão, cuidado, colo, esforço, abrir seu coração, entre muitos outros ingredientes indispensáveis para se viver relacionamentos saudáveis. E quando você percebe receber pouco ou nada, algo de muito errado está acontecendo e te levando a beijar não mais de pé e sim de joelhos.

Beijar de joelhos é se anular em função do outro, é fazer do outro a prioridade da sua vida, enquanto na verdade deveria ser somente uma possível opção. É mais: é ficar jogando pérolas a porcos, é se submeter a humilhações físicas e emocionais, é perder o próprio respeito, é deixar que te roubem de você. É sugar todo seu sangue até não deixar uma gota se quer, é jogar jogos emocionais. Beijar de joelhos é aceitar que o egoísmo do outro domine todo o relacionamento. É morrer estando vivo.

Uma vez que você conhece os dois tipos de beijo, a escolha é unicamente sua se você quer continuar beijando de joelhos ou vai se posicionar, tomar uma atitude e escolher beijar de pé. Você pode se perguntar? Qual o preço de se beijar de pé? Ele realmente pode ser muito caro, uma vez que você deverá enfrentar medos do desconhecido, inseguranças, culpas imaginárias, aparentes fracassos e uma infinidade de emoções negativas. É como enfrentar um Golias quando se escolhe beijar de pé.

Porém, um relacionamento só vale a pena se os dois beijarem de pé. São relacionamentos equilibrados que tem mais chances de funcionarem e não o contrário.

Que Deus ilumine sua mente para lhe dar força e coragem para escolher beijar de pé e viver relacionamentos altamente significativos e que apóiem um ao outro a chegar às mansões celestiais, que foram preparadas para aqueles que amam o Criador.

domingo, 14 de novembro de 2010

Perspectiva correta


Muitas vezes nos esquecemos de quem somos e quem é Aquele que nos criou.

Por mais que sua vida tenha situações impossíveis de se resolver numa perspectiva puramente humana, se lembre que Deus existe, Ele te ama e está ao seu lado segurando sua mão, enxugando suas lágrimas, pronto a curar as feridas mais profundas que o mundo ocasionou em sua alma.

São nos ventos furiosos da vida que dirigimos nossa mente ao Infinito e pedimos respostas, porém, elas parecem não vir, um silêncio quase sepulcral por parte do Criador, e a pergunta que nasce de nós é: por quê? Se Deus existe, Ele não me ama, e muitas outras frases similares cuja marca é: “Deus se esqueceu de mim e me deixou só”.

Porém, convido a refletir no capítulo 38 do livro de Jó, onde Deus responde não do jeito que Jó esperava, com objetividade, mas com perguntas. E qual era o propósito das perguntas? Colocar Jó na sua perspectiva correta de ser criado diante do Criador da vida, inventor da luz, das estrelas, dos planetas e de tudo que existe debaixo dos Céus e acima também.

O propósito era mostrar ao ser humano que por mais que seu problema seja difícil carregar, para Deus a solução se dá num sopro, ou quem sabe com uma gota de Sol saído do coração do Criador e que atinge diretamente sua vida. Simples assim.

A reflexão é para pensar que Deus é o único Senhor de sua existência, e colocar sua vida, seus planos, nas mãos do Criador, é posicionar o comando de sua vida para Alguém que assim como foi o criador da luz, Ele pode gerar luz novamente em sua vida também. Então a pergunta que vem em seguida? Por que Ele ainda não o fez?

E a resposta vem como um sopro de Sua Carta de Amor: confie, se entregue, como uma criança que se entrega aos braços do pai quando se joga de um alto de uma estante. Porque ela sabe que o pai não deixará ela se ferir, se machucar, o mesmo Deus faz com a vida de cada filho e filha Seus. Ele quer atuar, Ele quer operar, porém, cabe a você abrir um canal para que Deus opere e esse canal se traduz em confiança plena no poder do Criador.

Deixo I Tessalonicenses 5:18, “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”, em meio às provações, agradeça a Deus e confie. Só confie. Afinal, Ele sempre sabe o que é melhor para cada um de nós.

domingo, 7 de novembro de 2010

Não à autocomiseração


Quantas vezes você já disse no íntimo de seu ser? Que injustiça, por que Deus fez isso comigo?

Autocomiseração é um sentimento acompanhado de pensamentos que nos leva a sermos rotulados como coitados diante das circunstâncias. Pode ser o emprego que você amava e de repente te mandam embora, ou quem sabe sua esposa que chega à calada da noite, olha dentro de seus olhos e diz que não quer mais ficar casada.

As situações são as mais variadas, elas vêm como ventos carregados de muita fúria e que nos levam os castelos que em sonham construímos. E a pergunta que vêm à mente é? Por que Deus fez isso comigo? Saiba que Deus não faz, são suas escolhas que andam juntas com as conseqüências que muitas vezes respondem ao que você está passando agora. Porém, Deus não permite nenhuma prova desnecessária. Ele não é o autor responsável pelos ventos furiosos da sua vida, mas Ele os utiliza para lhe ensinar, quem sabe abrir portas ou simplesmente lhe dar uma sacudida pra vida.

Portanto, é nesses momentos que devemos cuidar para a autocomiseração não tomar conta de nosso coração. Por mais difícil que possa ser a circunstância, a Palavra que vem do Senhor e penetra no âmago de nosso ser é: confie. E confiar é não duvidar, muito menos blasfemar, apenas esperar em Deus. Uma sensação de profunda paz porque a entrega de seus problemas passou às mãos dAquele que não vai falhar, que não vai te decepcionar. E sabe por quê?

Deus está ao seu lado, Ele não só sabe como ouve e vê, e o acalma em sua angústia. Ele é Deus porque Ele lhe ama e não lhe deixará nessa tempestade por muito tempo, apenas o período necessário para ver Seu poder atuar em sua vida e transformar o que Ele tiver que transformar.

Deixo uma reflexão, ela resume por que viver em autocomiseração não é sábio e o melhor é entregar tudo para os Céus: “Eu sou o Senhor, Deus de toda humanidade, haverá algo demasiadamente difícil para mim? Jeremias 32:27

Por que se preocupar? Por que sofrer? Por que temer? Se Deus está no comando da sua vida. Apenas confie e espere com paciência em Deus.

A oração de hoje é: “Pai, o Senhor conhece o que vivo. Me ajude a encontrar meu ponto de equilíbrio e viver na paz que tanto necessito”. E Deus responderá sua oração como respondeu a minha.

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.