sábado, 25 de dezembro de 2010

Criança adulta


Quando pude experimentar o convívio com duas crianças, Danilo e Heitor,entendi o cuidado que Deus tem por cada um de nós. E convido você a essa reflexão.

Crescemos e nos tornamos pessoas adultas, a partir desse marco, passamos a viver sob o comando das preocupações, lutas, frustrações e medos que dirigem na maior parte das vezes nossas vidas. Sentimos-nos sós mesmo estando cercado de pessoas que nos amam.

Esquecemos-nos que existe Alguém nos acompanhando em cada passo que damos, muitas vezes deixando que sigamos certos caminhos para nos ensinar alguma coisa para nosso bem. Foi assim minha primeira experiência com as crianças.

Uma criança é alguém totalmente dependente de um adulto quer sejam seus pais, irmãos, tios, e toda criança tem vontade própria e ela faz o que for possível ao seu limite físico e mental conseguir o que deseja. Inicia uma corrida em busca do preenchimento de suas necessidades mais íntimas, que em questão de segundos pode se tornar esquecida como se nunca tivesse existido realmente. Essa é a criança, ser humano como você e eu, porém dotada de uma fragilidade infinita quando comparada a um ser adulto.

E ao assumirmos o papel de cuidadores dos pequeninos, nossas preocupações e energias voltam-se para eles quase que num estado de esvaziar-nos de tudo e colocar o foco completo no cuidado pelas crianças. Cuidamos para que não se machuquem, não se percam de nossas vistas, para que sejam alimentados no tempo certo, cuidamos dando presentes para ganharmos um sorriso que não tem preço, cuidamos para que tenham conforto, para que nada lhes falte.

Então isso me fez pensar no cuidado que Deus tem por mim. Sou alguém frágil ao mundo que me cerca, não digo de uma fragilidade que denote fraqueza, mas ao constatar que não tenho controle de nada e que tudo pode desaparecer diante dos meus olhos em questão de segundos. Porém, ao contrário de uma criança que logo esquece, carrego comigo emoções alimentadas por pensamentos de pura ansiedade, que na maioria das vezes será levada por anos ou quem sabe uma vida toda. Esse é o adulto, dotado de uma fragilidade infinita quando comparado ao mundo.

Somos crianças adultas e precisamos de Alguém que tome conta de nós se quisermos viver protegidos das ciladas da vida. Esse Alguém é o Deus que nos criou. Ele é o adulto que coloca a cada minuto Seus olhos sobre nós procurando dirigir nossos passos. Pois está escrito: “todas as coisas contribuem para o bem dos que amam a Deus”.

E como uma criança que confia no adulto que dela cuida, devemos aprender a confiar em Deus em todas as situações, pois Ele ama a cada um de nós incondicionalmente e não permitirá nenhuma prova desnecessária. Tudo que nos acontece tem algum propósito maior e aí vem o conselho que nos traz pura paz: “descanse nos braços de Deus, pois Ele cuida sempre de ti”.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Relacionamento de respostas


A reflexão é para nos levar a identificar o nível de qualidade em nosso relacionamento com Deus.

Durante as orações das minhas últimas semanas, tive uma constatação: noventa por cento do tempo que gasto em conversa com Deus e esse tempo não é muito mais que trinta minutos, é para fazer pedidos, intercessões, súplicas, exigir respostas. E percebi mais: dificilmente me relaciono com Deus quando tudo parece caminhar bem.

Depois de meditar no assunto meu coração se assustou com a qualidade do meu relacionamento com Deus. Algo está muito errado e preciso de mudanças urgentes se eu quiser continuar com Deus ou mais cedo ou mais tarde deixarei de buscá-lo, porque não existe relacionamento que viva só de interesses.

Posso fazer um paralelo: Se o que leva você a buscar seu ou sua companheira são razões unicamente voltadas para satisfazer o seu ser e em nenhum momento é para simplesmente ter o prazer da outra pessoa com você bem como servi-la, sem ela nada lhe dar em troca, cuidado, é um relacionamento que tem muito pra dar errado.

Um relacionamento com Deus baseado em respostas é sem dúvida um relacionamento superficial, interesseiro ou sendo mais severo: pode ser tudo menos relacionamento saudável com o Criador do Universo. Deus é amor (1 João 4:8) e nós somos filhos de Deus (1 João 3:1) e mais, Deus é mar comparado a um grão de areia. Pensou? Você é filho(a) de um Deus infinito em poder, sabedoria, conhecimento, misericórdia, justiça e amor. É muito pouco o que damos a Deus se for só vivermos na busca de respostas e atendimento de nossos pedidos como se Ele fosse um gênio da lâmpada.

Podemos e devemos melhorar nosso relacionamento com Deus se quisermos realmente Ele dirigindo nossas vidas em todas as esferas. E isso se dá através de um conhecimento profundo de quem é Deus. Como?

Estudando diariamente a Palavra que nos deixou. Não tem segredo, exige esforço de nossa parte, o resto Deus fará. Cada história, cada situação encontrada na Bíblia nos convida a nos inserimos no quadro, pois você é Balaão, a viúva de Sarepta, o assistente de Eliseu, Davi, Salomão, e tantos quantos outros personagens que são humanos como você e eu. Se coloque no lugar deles e converse com Deus das suas impressões, entendimentos, fraquezas, desvios, caídas. Conte a Ele, sem pedir, apenas conte.

Depois, gaste um tempo para pedir a Deus o que você precisa ou acha que precisa. Ele quer muito lhe ajudar, porque não existe uma lágrima que saia do seu rosto sem Ele notar bem como cada alegria que é manifestada do seu coração sem Deus perceber.

Deus deseja ardentemente habitar em você e pede que permaneça nEle e o resto Ele fará em sua vida. E o caminho para isso é se relacionar verdadeiramente com Ele. Ouvimos, lemos repetidas vezes da Sua Palavra: Confie no Senhor, descanse nos braços do Onipotente, se entregue completamente a Deus, porém, isso não será realidade nunca em nossas vidas se não o conhecermos, se não aprendermos a identificar Sua voz entre tantas outras que também nos chamam, mas não para o caminho do bem.

Como viver o Salmo 17:5? Fica para você pensar.

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.