domingo, 12 de dezembro de 2010

Relacionamento de respostas


A reflexão é para nos levar a identificar o nível de qualidade em nosso relacionamento com Deus.

Durante as orações das minhas últimas semanas, tive uma constatação: noventa por cento do tempo que gasto em conversa com Deus e esse tempo não é muito mais que trinta minutos, é para fazer pedidos, intercessões, súplicas, exigir respostas. E percebi mais: dificilmente me relaciono com Deus quando tudo parece caminhar bem.

Depois de meditar no assunto meu coração se assustou com a qualidade do meu relacionamento com Deus. Algo está muito errado e preciso de mudanças urgentes se eu quiser continuar com Deus ou mais cedo ou mais tarde deixarei de buscá-lo, porque não existe relacionamento que viva só de interesses.

Posso fazer um paralelo: Se o que leva você a buscar seu ou sua companheira são razões unicamente voltadas para satisfazer o seu ser e em nenhum momento é para simplesmente ter o prazer da outra pessoa com você bem como servi-la, sem ela nada lhe dar em troca, cuidado, é um relacionamento que tem muito pra dar errado.

Um relacionamento com Deus baseado em respostas é sem dúvida um relacionamento superficial, interesseiro ou sendo mais severo: pode ser tudo menos relacionamento saudável com o Criador do Universo. Deus é amor (1 João 4:8) e nós somos filhos de Deus (1 João 3:1) e mais, Deus é mar comparado a um grão de areia. Pensou? Você é filho(a) de um Deus infinito em poder, sabedoria, conhecimento, misericórdia, justiça e amor. É muito pouco o que damos a Deus se for só vivermos na busca de respostas e atendimento de nossos pedidos como se Ele fosse um gênio da lâmpada.

Podemos e devemos melhorar nosso relacionamento com Deus se quisermos realmente Ele dirigindo nossas vidas em todas as esferas. E isso se dá através de um conhecimento profundo de quem é Deus. Como?

Estudando diariamente a Palavra que nos deixou. Não tem segredo, exige esforço de nossa parte, o resto Deus fará. Cada história, cada situação encontrada na Bíblia nos convida a nos inserimos no quadro, pois você é Balaão, a viúva de Sarepta, o assistente de Eliseu, Davi, Salomão, e tantos quantos outros personagens que são humanos como você e eu. Se coloque no lugar deles e converse com Deus das suas impressões, entendimentos, fraquezas, desvios, caídas. Conte a Ele, sem pedir, apenas conte.

Depois, gaste um tempo para pedir a Deus o que você precisa ou acha que precisa. Ele quer muito lhe ajudar, porque não existe uma lágrima que saia do seu rosto sem Ele notar bem como cada alegria que é manifestada do seu coração sem Deus perceber.

Deus deseja ardentemente habitar em você e pede que permaneça nEle e o resto Ele fará em sua vida. E o caminho para isso é se relacionar verdadeiramente com Ele. Ouvimos, lemos repetidas vezes da Sua Palavra: Confie no Senhor, descanse nos braços do Onipotente, se entregue completamente a Deus, porém, isso não será realidade nunca em nossas vidas se não o conhecermos, se não aprendermos a identificar Sua voz entre tantas outras que também nos chamam, mas não para o caminho do bem.

Como viver o Salmo 17:5? Fica para você pensar.

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.