sábado, 29 de janeiro de 2011

Felicidade do outro


O tema é com base num insight que recebi de uma pessoa especial e quero compartilhar com vocês, meus leitores, um pouco mais da chave para um relacionamento durar toda uma vida.

Nós crescemos pensando que precisamos encontrar alguém para nos fazer felizes. Muitos casamentos se dão com esse propósito: “ele é o homem que vai te fazer feliz, ou ela é a mulher pra sua felicidade”, e assim acabam se dando e acreditando fielmente nisso. O que acontece depois de um tempo? Descobrem que por mais que o eu se esforce em fazer o outro feliz, pouco conseguem de resultados.

E se culpam e perguntam lá dentro de seus corações: Onde errei? Porém, se existe um erro, ele está no foco que é dado à existência do relacionamento: “vivo para fazer o outro feliz” ou “só serei feliz se o outro me fizer feliz”. Percebam que pensando e agindo com esse foco, toda a responsabilidade pela felicidade do outro depende exclusivamente de você. Passamos a carregar um peso que definitivamente não é nosso. E a sociedade nos leva à culpa por não termos conseguido fazer o outro feliz.

Todavia, ser feliz tem a ver consigo mesmo. Remete a aprender se amar antes de amar alguém, a se gostar e se cuidar antes de querer gostar ou cuidar de alguém. E quando se atinge a auto-felicidade, então viver um relacionamento saudável é: “sentir-se feliz com a felicidade do outro”. Quando li essa frase, refleti muito em seu real significado porque aqui começa a verdadeira morada do amor.

Então pensei: Para sentir-se feliz com a felicidade do outro, é preciso abrir mão do egoísmo em primeiro plano, desfazer-se de qualquer sentimento de competição ou inferioridade, por isso, tem-se que buscar a sua própria felicidade antes de querer se comprometer com a felicidade do outro.

Deus é amor e Ele se sente feliz com a felicidade de cada filho e filha Seus. E ressalto que Deus não é o responsável pela nossa felicidade ou infelicidade como muitos acabam atribuindo a Ele. Nós mesmos somos os maiores responsáveis, através de nossas pequenas escolhas que fazemos e recebemos como resposta da vida as conseqüências boas ou ruins de nossos atos.

Um relacionamento saudável é como “uma árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo, as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará (Salmo 1:3). Isso remete a um casal de inteiros, onde cada inteiro equivale a um ser que já é feliz e, portanto está pronto para sentir-se mais feliz com a felicidade do outro.

sábado, 15 de janeiro de 2011


A reflexão é para nos fazer pensar na dinâmica que deve existir para que um relacionamento tenha chances de ser bem sucedido.

Não há dúvidas de que toda mulher tem necessidades, “algos” que lhe faltam bem lá no interior de seu coração, percebidos na superfície de sua vida como vazios e que precisam ser preenchidos quase como um grito de socorro para que suas belezas interior e exterior permaneçam em harmonia. Essa é a essência da alma feminina, o movimento da sua vida acontece através do coração.

Por outro lado, temos o homem, ele também tem necessidades, que podem quase sempre ser traduzidas em desejos, e por quê? Porque o homem em sua essência não é movido pelo coração e sim por impulsos, propósitos, às vezes egoístas, outras vezes não. O foco do homem está em saciar o físico que é disparado por reações físico-químicas misturadas ao psicológico de querer dominar, conquistar, seduzir, se sentir seguro.

O cerne da questão é como conciliar necessidades da mulher com desejos do homem para que um relacionamento que deve ser é feito a dois, não a um e meio ou meio, realmente dê certo. Parece uma fórmula impossível de ser calculada.

O homem precisa dar de si para conseguir captar, perceber e agir diante das necessidades da mulher. Apenas quando ele abre mão de seus desejos para ir à busca frenética pelas necessidades da mulher é que um relacionamento começa a sinalizar as boas chances.

Porém, o homem somente agirá com esse propósito se ele conseguir captar a essência da outra pessoa e essa essência precisa atendê-lo. Uma das necessidades masculinas, que são poucas, é encontrar essências femininas que lhe dêem alegria, prazer, satisfação. Quando ele encontra a sua essência, ele se apaixona e desenvolve o sentimento do amor por ela, parece mágico, mas é assim que funciona na mente e no coração do homem.

Todavia, dependendo da sua maturidade emocional, esse amor pode ainda ser carvão, mas com o tempo se tornará um valioso diamante, se ele se esforçar, e ele somente se esforçará se a essência feminina conseguir iluminar o seu ser. Dificilmente a mulher deixará de corresponder, se ele agir certo.

Deus fez o homem e a mulher para viverem juntos e felizes. Onde ele preenche as necessidades dela, e ela atende aos desejos dele. É uma relação de troca e será ricamente saudável se ambos entenderem claramente seus papéis e responsabilidades no relacionamento e viverem a condição primordial: que não tenham medo de fracassar.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Recomeço com Deus


Inicia-se um ano desconhecido aos nossos corações. Não sei o que você viveu até aqui, porém, se sua mente está confusa ou perdida, saiba que sempre é possível recomeçar.

A vida é uma caixa de surpresas. Vivenciamos situações de alegria, paz, prosperidade e também experimentamos momentos dolorosos com decepções e um desânimo que parece nos inundar. Quando isso acontece perdemos muitas vezes o chão, nos encontramos em meio a uma tempestade de poeira que mal conseguimos abrir os olhos. E perguntamos: Por quê comigo? E agora? A esperança parece ser arrancada de nós como a areia que sai da palma da mão levada pelos ventos.

Essa é a sensação de muitos, por acontecimentos como a perda inesperada do emprego, a vinda de uma doença que ninguém esperava, dívidas que nos engolem do dia pra noite, um casamento desfeito, o desaparecer da pessoa amada, e assim a soma parece não ter fim.

Existe uma constatação por mais difícil aceitar: a vida é tão frágil que qualquer pessoa pode num piscar de olhos ver seu castelo que em sonhos foi construído ser derrubado. E diante disso temos dois posicionamentos: um é entrar numa caverna e se revestir da culpa, deixar que o medo nos paralise enquanto a vida segue seu rumo através do Sol que nasce, das flores que brocham, dos pássaros que cantam, das crianças que nascem.

Outro posicionamento é decidir recomeçar tendo como propósito tornar o limão amargo que se instalou em você numa saborosa limonada. Falo de um recomeço com pequenos começos e Deus guiando seus passos um dia de cada vez. E para esse recomeço é necessário se revestir de humildade para aceitar os pequenos começos, agir, vislumbrar o que você poderá alcançar, enxergar os pontos positivos no outro, resistir fazer leitura somente dos defeitos e o mais importante: confiar em Deus em todas as novas situações.

Perdeu o emprego? Busque um novo, grite ao mercado que você existe. Seu amor se foi? Acredite que você é capaz de amar muitas e muitas outras vezes, pois como dizia o poeta, somos apaixonáveis. Tenha atitude e não deixe que o medo de fracassar impeça você de jogar.

Invista todas as suas forças nos pequenos começos. Recomeçar com Deus é a certeza de grandes resultados para você no novo ano.

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.