sábado, 29 de janeiro de 2011

Felicidade do outro


O tema é com base num insight que recebi de uma pessoa especial e quero compartilhar com vocês, meus leitores, um pouco mais da chave para um relacionamento durar toda uma vida.

Nós crescemos pensando que precisamos encontrar alguém para nos fazer felizes. Muitos casamentos se dão com esse propósito: “ele é o homem que vai te fazer feliz, ou ela é a mulher pra sua felicidade”, e assim acabam se dando e acreditando fielmente nisso. O que acontece depois de um tempo? Descobrem que por mais que o eu se esforce em fazer o outro feliz, pouco conseguem de resultados.

E se culpam e perguntam lá dentro de seus corações: Onde errei? Porém, se existe um erro, ele está no foco que é dado à existência do relacionamento: “vivo para fazer o outro feliz” ou “só serei feliz se o outro me fizer feliz”. Percebam que pensando e agindo com esse foco, toda a responsabilidade pela felicidade do outro depende exclusivamente de você. Passamos a carregar um peso que definitivamente não é nosso. E a sociedade nos leva à culpa por não termos conseguido fazer o outro feliz.

Todavia, ser feliz tem a ver consigo mesmo. Remete a aprender se amar antes de amar alguém, a se gostar e se cuidar antes de querer gostar ou cuidar de alguém. E quando se atinge a auto-felicidade, então viver um relacionamento saudável é: “sentir-se feliz com a felicidade do outro”. Quando li essa frase, refleti muito em seu real significado porque aqui começa a verdadeira morada do amor.

Então pensei: Para sentir-se feliz com a felicidade do outro, é preciso abrir mão do egoísmo em primeiro plano, desfazer-se de qualquer sentimento de competição ou inferioridade, por isso, tem-se que buscar a sua própria felicidade antes de querer se comprometer com a felicidade do outro.

Deus é amor e Ele se sente feliz com a felicidade de cada filho e filha Seus. E ressalto que Deus não é o responsável pela nossa felicidade ou infelicidade como muitos acabam atribuindo a Ele. Nós mesmos somos os maiores responsáveis, através de nossas pequenas escolhas que fazemos e recebemos como resposta da vida as conseqüências boas ou ruins de nossos atos.

Um relacionamento saudável é como “uma árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo, as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará (Salmo 1:3). Isso remete a um casal de inteiros, onde cada inteiro equivale a um ser que já é feliz e, portanto está pronto para sentir-se mais feliz com a felicidade do outro.

Nenhum comentário:

Autoria

Consultor de negócios e apaixonado por aprender sobre relacionamentos e viver e falar de Deus a você.